BBC 100 Women 2023: Quem está na lista este ano?:baixar 365 bet

Imagensbaixar 365 betalgumas das participantes da temporada 2023 do 100 Women, do Serviço Mundial da BBC

A BBC reveloubaixar 365 betlistabaixar 365 bet100 mulheres inspiradoras e influentes no mundo para 2023.

Entre elas estão a advogadabaixar 365 betdireitos humanos Amal Clooney, a estrelabaixar 365 betHollywood America Ferrera, a ícone feminista Gloria Steinem, a ex-primeira-dama dos EUA Michelle Obama, a proprietáriabaixar 365 betempresabaixar 365 betcosméticos Huda Kattan e a jogadorabaixar 365 betfutebol vencedora da Bolabaixar 365 betOuro Aitana Bonmatí.

Num anobaixar 365 betque o calor extremo, os incêndios florestais, as inundações e outros desastres naturais dominaram as manchetes, a lista também destaca mulheres que têm trabalhado para ajudar suas comunidades a enfrentar as alterações climáticas e a agir para se adaptar aos seus impactos.

No mês da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP28, destacamos 28 Pioneiras do Clima entre as 100 mulheres inspiradoras e influentesbaixar 365 bet2023

Os nomes na lista não estãobaixar 365 betuma ordem específica

baixar 365 bet Cultura e Educação
Afroze-Numa

Afroze-Numa, Paquistão

Pastora

Uma das últimas pastoras Wakhi, Afroze-Numa cuidabaixar 365 betcabras, bois selgavens e ovelhas há quase três décadas.

Tendo aprendido o ofício com a mãe e as avós, ela faz partebaixar 365 betuma tradição secular do vale Shimshal, no Paquistão, que está desaparecendo.

Todos os anos, essas pastoras levam seus rebanhos para pastagens localizadas a 4.800mbaixar 365 betaltitude, onde preparam laticínios que serão trocados por outros produtos, enquanto seus animais se alimentam.

A renda delas trouxe prosperidade à aldeia e permitiu-lhes proporcionar educação aos seus filhos. Afroze-Numa ainda se lembra com carinhobaixar 365 better sido a primeira mulher no vale a ter um parbaixar 365 betsapatos.

Hosai Ahmadzai

Hosai Ahmadzai, Afeganistão

Apresentadorabaixar 365 betTV

Quando o Talebã assumiu o controle do Afeganistãobaixar 365 betagostobaixar 365 bet2021, Hosai Ahmadzai foi uma das poucas apresentadorasbaixar 365 betnotícias do país a seguir no ar.

Apesarbaixar 365 betpreocupações combaixar 365 betsegurança ebaixar 365 betresistência social contra as mulheres na mídia, seu trabalho na Shamshad TV continua.

De lá pra cá, Ahmadzai entrevistou vários membros do Talebã. Mas há limitações às perguntas que ela pode fazer, não sendo possível, por exemplo, questionar sobre a conduta do grupo.

Com formaçãobaixar 365 betdireito e ciência política, Ahmadzai trabalha na mídia há sete anos e dedica-se à educaçãobaixar 365 betmeninas, enormemente restringida pelo Talebã.

Esi Buobasa

Esi Buobasa, Gana

Peixeira

Naturalbaixar 365 betFuveme, uma aldeia ganense arrasada pelo mar implacável, Esi Buobasa sentiubaixar 365 betprimeira mão o impacto das alterações climáticas.

Com o marido e os cinco filhos, ela foi forçada a migrar à medida que o nível do mar subia, tornando abaixar 365 betpropriedade inabitável.

Uma importante pescadora dabaixar 365 betaldeia, Buobasa e seus colegas criaram uma associação para ajudar as pescadoras da região, que estavam combaixar 365 betfontebaixar 365 betrendimento ameaçada pela erosão da costa.

A aliança, que hoje conta com cercabaixar 365 bet100 membros, reúne-se semanalmente para discutir questões que afetam as mulheres no negócio da pesca e faz contribuições financeiras para apoiar famílias necessitadas.

Nós nos desesperamos toda vez que as ondas fortes chegam. A morte vem para nós e para a próxima geração.

Esi Buobasa

Chila Kumari Burman

Chila Kumari Burman, Reino Unido

Artista

Recorrendo a diversos tiposbaixar 365 betarte, incluindo gravura, desenho, pintura, instalação e cinema, Chila Kumari Burman usa seu trabalho para discutir questões como representação, gênero e identidade cultural.

Este ano, a artista teve seu trabalho apresentado no Blackpool Illuminations, um festivalbaixar 365 betluzes realizado no Reino Unido desde 1879. Lollies in Love With Light é uma instalaçãobaixar 365 bettecnicolor com uma vanbaixar 365 betsorvete no centro, inspirada na carrocinhabaixar 365 betsorvetebaixar 365 betseus pais.

Em 2020, Burman desenvolveu a instalação Remembering a Brave New World, enfeitando a fachada da galeriabaixar 365 betartes Tate Britain,baixar 365 betLondres, com referências à mitologia indiana, cultura popular e empoderamento feminino.

No ano passado ela recebeu a medalhabaixar 365 betMembro da Ordem do Império Britânico (MBE).

Paulina Chiziane

Paulina Chiziane, Moçambique

Escritora

Com seu livrobaixar 365 betestreia lançado na décadabaixar 365 bet1990, Baladabaixar 365 betAmor ao Vento, Paulina Chiziane tornou-se a primeira mulher a publicar um romancebaixar 365 betMoçambique.

Criada nos arredores da capitalbaixar 365 betMoçambique, Maputo, Chiziane aprendeu português numa escola católica. Estudou línguas na Universidade Eduardo Mondlane, mas não chegou a se formar.

Seu trabalho foi traduzido para vários idiomas, como inglês, alemão e espanhol. Com o livro A Primeira Mulher: Um Contobaixar 365 betPoligamia, ganhou o moçambicano Prêmio José Craveirinha.

Mais recentemente ganhou o Prêmio Camões, considerado o mais prestigiadobaixar 365 betescritabaixar 365 betlíngua portuguesa.

Susanne Etti

Susanne Etti, Austrália

Especialistabaixar 365 betturismo sustentável

Uma das únicas cientistas climáticas da indústriabaixar 365 betviagens e turismo, Susanne Etti é apaixonada por liderar a áreabaixar 365 betdireção a um futuro mais sustentável.

Seu trabalho como gerentebaixar 365 betimpacto ambiental global na Intrepid Travel, uma empresabaixar 365 betviagensbaixar 365 betaventura para pequenos grupos, levou a empresa a tornar-se a primeira operadora turística com metasbaixar 365 betreduçãobaixar 365 betcarbono com base científica e verificada.

Etti é autorabaixar 365 betum guiabaixar 365 betcódigo aberto para empresasbaixar 365 betviagens que desejem descarbonizar e é uma parte fundamental da Tourism Declares, uma comunidade voluntáriabaixar 365 bet400 organizaçõesbaixar 365 betviagens, empresas e profissionais que declararam emergência climática.

Hoje vemos mais empresas reconhecerem a importânciabaixar 365 betação climática, estabelecendo metas ambiciosas para reduzir o impacto ambiental, investindobaixar 365 betenergias renováveis ​​e comprometendo-se com metasbaixar 365 betreduçãobaixar 365 betemissões a longo prazo.

Susanne Etti

Jannatul Ferdous

Jannatul Ferdous, Bangladesh

Sobreviventebaixar 365 betqueimaduras

Sobreviventebaixar 365 betum acidente que queimou 60% do seu corpo, Jannatul Ferdous tornou-se cineasta, escritora e ativista da deficiência.

Ela é fundadora da Voice & Views, uma organizaçãobaixar 365 betdireitos humanos que luta pelos direitos das mulheres sobreviventesbaixar 365 betqueimaduras.

Conhecida como Ivy pelos amigos e familiares, ela fez cinco curtas-metragens e publicou três romances, usandobaixar 365 betcapacidadebaixar 365 betcontar histórias para ampliar a consciência sobre as pessoas que vivem com deficiência.

Ferdous estudou extensivamente, e suas realizações acadêmicas incluem um mestradobaixar 365 betLiteratura Inglesa e uma licenciaturabaixar 365 betEstudos do Desenvolvimento.

Licia Fertz

Licia Fertz, Itália

Modelo e influenciadora

Poucas pessoasbaixar 365 bet93 anos podem dizer que têm maisbaixar 365 bet235 mil seguidores no Instagram, mas,para a influenciadorabaixar 365 betbody positivity mais velha da Itália, este é apenas o começo.

Licia Fertz viveu a Segunda Guerra Mundial, suportou a morte da filhabaixar 365 bet28 anos e ficou viúva.

Quando seu neto criou um perfil no Instagram para animá-la, suas roupas coloridas e seu sorriso radiante a transformaram instantaneamentebaixar 365 betuma estrela nas redes sociais.

Aos 89 anos, ela escreveubaixar 365 betautobiografia e posou nua para a capa da revista Rolling Stone.

Ela é uma ativista contra o etarismo, pelo feminismo e pela comunidade LGBTQ+, que promove a positividade corporal e mudanças na forma como percebemos os corpos envelhecidos e os idosos.

Natalia Idrisova

Natalia Idrisova, Tadjiquistão

Consultorabaixar 365 betenergia verde

As mulheres que vivembaixar 365 betzonas remotas do Tadjiquistão enfrentam com frequência dificuldades no acesso a fontesbaixar 365 betenergia, como eletricidade ou lenha. A coordenadora do projetobaixar 365 betcaridade ambiental Natalia Idrisova busca soluções ambientais práticas para a crise energética e educa mulheres sobre os recursos naturais e tecnologias e materiais energeticamente eficientes.

Alémbaixar 365 bettreinamentos,baixar 365 betorganização oferece equipamentos que economizam energia, cozinhas solares e panelasbaixar 365 betpressão, liberando tempo às mulheres e apoiando a igualdadebaixar 365 betgênero no laresbaixar 365 betuma forma amigável ao clima.

Idrisova atualmente treina comunidades sobre os impactos causados pelas alterações climáticas a pessoas com deficiência e busca formasbaixar 365 betgarantir que essas vozes sejam ouvidas nas discussões políticas.

Acontecimentos extremosbaixar 365 bettodo o mundo nos dão o último avisobaixar 365 betque as pessoas são indissociáveis ​​da natureza. Não podemos explorar a naturezabaixar 365 betforma negligente, sem que haja consequências graves.

Natalia Idrisova

Vee Kativhu

Vee Kativhu, Zimbábue/Reino Unido

Criadorabaixar 365 betconteúdo e youtuber

Desde a conciliaçãobaixar 365 betseus estudos com um empregobaixar 365 betmeio período no McDonald's até a obtençãobaixar 365 betdiplomas nas universidadesbaixar 365 betOxford e Harvard, a jornada acadêmicabaixar 365 betVee (Varaidzo) Kativhu tornou-se uma inspiração para milharesbaixar 365 betpessoasbaixar 365 bettodo o mundo.

Na universidade, criou um canal no YouTube para compartilharbaixar 365 betexperiência como estudantebaixar 365 betorigem socioeconômica mais baixa e deu dicasbaixar 365 betestudo ebaixar 365 betrecursos para pessoasbaixar 365 betsituação semelhante.

Desde então, Kativhu lançou a Empowered by Vee, uma plataforma para tornar o ensino superior mais acessível para estudantes sem apoio ou sub-representadosbaixar 365 bettodo o mundo.

Ela escreveu um livro práticobaixar 365 betautoajuda para jovens e atualmente faz doutoradobaixar 365 betLiderança Educacional.

Huda Kattan

Huda Kattan, Estados Unidos

Fundadorabaixar 365 betuma empresabaixar 365 betprodutosbaixar 365 betbeleza

Nascida nos EUA, filhabaixar 365 betimigrantes iraquianos, Huda Kattan cresceubaixar 365 betOklahoma e rejeitou uma carreira corporativa tradicional para seguir abaixar 365 betpaixão pela beleza.

Formada por uma conceituada escolabaixar 365 betmaquiagembaixar 365 betLos Angeles, ela construiu uma clientelabaixar 365 betcelebridades, incluindo várias famílias reais por todo o Oriente Médio.

Desde então, ela se tornou a marcabaixar 365 betbeleza mais seguida no Instagram, com cercabaixar 365 bet50 milhõesbaixar 365 betseguidores.

Kattan fundoubaixar 365 betmarcabaixar 365 betcosméticos, a Huda Beauty,baixar 365 bet2013, com uma linhabaixar 365 betcílios postiços. Hoje, seu negócio bilionário abrange maisbaixar 365 bet140 produtos, vendidosbaixar 365 betcercabaixar 365 bet1.500 lojasbaixar 365 bettodo o mundo.

Sophia Kianni

Sophia Kianni, Estados Unidos

Estudante e empreendedora social

Depoisbaixar 365 betconversar com familiares no Irã, a empreendedora social Sophia Kianni percebeu que havia relativamente pouca informação confiável sobre alterações climáticas no idioma deles, e começou a traduzir materiais para farsi.

Rapidamente se tornou um projeto mais amplo quando ela fundou a Climate Cardinals, uma organização internacional sem fins lucrativos liderada por jovens que visa a traduzir informações climáticas para todos os idiomas e torná-las mais acessíveis para aqueles que não falam inglês.

Hoje conta 10 mil estudantes voluntáriosbaixar 365 bet80 países. Eles já traduziram um milhãobaixar 365 betpalavrasbaixar 365 betmaterial climático para maisbaixar 365 bet100 idiomas.

O objetivobaixar 365 betKianni é ajudar a quebrar as barreiras linguísticas à transferência globalbaixar 365 betconhecimento científico.

Jovens ativistas construíram e alimentaram redes globaisbaixar 365 betação climática, mobilizaram milhõesbaixar 365 betprotestos, conduziram milharesbaixar 365 betpetições contra o desenvolvimentobaixar 365 betcombustíveis fósseis e angariaram milhõesbaixar 365 betdólares para financiar iniciativas climáticas. Os desafios do mundo são grandes demais para que nos isolemos com base na idade ou na experiência.

Sophia Kianni

Arati Kumar-Rao

Arati Kumar-Rao, Índia

Fotógrafa

Trabalhando no Sul da Ásia, a fotógrafa independente, escritora e exploradora da National Geographic Arati Kumar-Rao documenta alterações na paisagem causadas pelas mudanças climáticas.

Ela registra o esgotamento drástico das águas subterrâneas, a destruiçãobaixar 365 bethabitats e a aquisiçãobaixar 365 betterras para a indústria, que devastam a biodiversidade e reduzem as terras comuns, deslocando milhões e empurrando espécies para a extinção.

Kumar-Rao viaja pelo subcontinente indiano há maisbaixar 365 betuma década, e as suas histórias contundentes revelam como a destruição ambiental afeta os meiosbaixar 365 betsubsistência e a biodiversidade.

Seu livro, Marginlands: India's Landscapes on the Brink, resume as experiências daqueles que vivem nos ambientes mais hostis da Índia.

Na raiz da crise climática está a lamentável perda da nossa ligação elementar com a terra, a água e o ar. É imperativo que recuperemos essa conexão.

Arati Kumar-Rao

Marijeta Mojasevic

Marijeta Mojasevic, Montenegro

Ativista dos direitos das pessoas com deficiência

Após sobreviver a dois derrames quando ainda estava no ensino médio, a vidabaixar 365 betMarijeta Mojasevic mudou drasticamente.

Convivendo com muitas das consequências físicas e psicológicas até hoje, Mojasevic trabalha como conselheirabaixar 365 betjovens e ativista dos direitos das pessoas com deficiência.

Ela usabaixar 365 betvoz para desafiar atitudes e comportamentosbaixar 365 betrelação a pessoas com distúrbios neurológicos.

Em workshops organizados por ela, chamados 'Vida com deficiência', Mojasevic recorre às próprias experiências para desafiar o preconceito.

Ela é embaixadora da OneNeurology, uma iniciativa que visa tornar as condições neurológicas uma prioridadebaixar 365 betsaúde pública global.

Sarah Ott

Sarah Ott, Estados Unidos

Professora

Tendo crescido no Estado americano da Flórida no pós 11baixar 365 betSetembro, a professora do ensino secundário Sarah Ott diz que era vulnerável à desinformação.

Apesarbaixar 365 better formaçãobaixar 365 betciências, durante algum tempo ela duvidou que as alterações climáticas estivessem realmente acontecendo.

Admitir que estava errada foi o primeiro passo embaixar 365 betbusca pela verdade. Seu caminho a levou a tornar-se Embaixadora das Mudanças Climáticas no Centro Nacionalbaixar 365 betEducação Científica.

Morando agora no Estado americano da Geórgia, ela usa as mudanças climáticas para ensinar conceitosbaixar 365 betciências físicas aos seus alunos e aumentar a conscientização sobre as questões ambientais embaixar 365 betcomunidade.

Embora as mudanças climáticas sejam uma situação que atinja a todos, não podemos fazer tudo sozinhos. O ativismo é como um jardim. É sazonal. Descansa. Respeite a estaçãobaixar 365 betque você está.

Sarah Ott

Jetsunma Tenzin Palmo

Jetsunma Tenzin Palmo, Índia

Bhikṣuṇī, freira budista

Nascida na Inglaterra na décadabaixar 365 bet1940, Jetsunma Tenzin Palmo adotou o budismo na adolescência.

Aos 20 anos ela viajou para a Índia e tornou-se uma das primeiras ocidentais a ser ordenada como monástica budista tibetana.

Para promover o status das mulheres praticantes, Tenzin Palmo fundou o Convento Dongyu Gatsal Lingbaixar 365 betHimachal Pradesh, na Índia, que abriga maisbaixar 365 bet120 freiras.

Ela é mais conhecida por passar 12 anos vivendobaixar 365 betuma caverna remota no Himalaia, três dos quaisbaixar 365 betestrito retirobaixar 365 betmeditação. Em 2008, ela recebeu o raro títulobaixar 365 betJetsunma, que significa Venerável Mestre.

Lala Pasquinelli

Lala Pasquinelli, Argentina

Artista

"Mulheres que não estavam na capa (de revista)" é uma criação da artista Lala Pasquinelli, fundadabaixar 365 bet2015 para questionar os estereótiposbaixar 365 betbeleza e a representação das mulheres na mídia e na cultura popular.

O projeto está por trásbaixar 365 betcampanhas virais que convidam as mulheres a reavaliarem a narrativabaixar 365 bettorno dos seus corpos, incluindo questões como envelhecimento e dieta. Sua recente ação #HermanaSoltaLaPanza (Irmã, parebaixar 365 betencolher a barriga) destacou histórias reaisbaixar 365 betpessoasbaixar 365 bettodas as formas e tamanhos.

Advogada, poetisa, lésbica e ativista feminista, Pasquinelli trabalha para desfazer ideais homogêneosbaixar 365 betbeleza feminina que ela diz serem "classistas, sexistas e racistas" e alimentam ainda mais a desigualdadebaixar 365 betgênero.

Jess Pepper

Jess Pepper, Reino Unido

Fundadora do Climate Café

O Climate Café é um espaço comunitário onde as pessoas se reúnem para beber, conversar e agir sobre as mudanças climáticas. O primeiro foi fundado por Jess Pepperbaixar 365 bet2015, numa pequena cidade da Escócia.

Ela agora apoia outras comunidades a criarem os seus próprios espaços, interligados numa rede global.

Os frequentadores dizem que estes são espaços seguros onde podem compartilhar seus medos e preocupações relacionados à crise climática.

Pepper ocupa vários cargosbaixar 365 betliderança na esfera climática, é integrante honorária da Royal Scottish Geographical Society e da Royal Society of Arts.

A ação climática e as mudanças positivas estão acontecendo nas comunidades, muitas vezes sob a liderançabaixar 365 betmulheres e crianças. Ver como as conexões inspiram e informam a mudança, construindo resiliência e ao mesmo tempo criando oportunidades e espaço político para novas mudanças, me dá esperança

Jess Pepper

Matcha Phorn-in

Matcha Phorn-in, Tailândia

Ativista pelos direitos da população indígena e LGBTQ+

Vivendo na Tailândia, na fronteira com Mianmar, uma área que sofreu os efeitos das mudanças climáticas ebaixar 365 betconflitos, Matcha Phorn-in focou seu trabalho nos direitos das minorias.

Ela fundou o Projetobaixar 365 betDesenvolvimento Sangsan Anakot Yawachon, uma organização que busca educar e capacitar milharesbaixar 365 betmulheres, meninas e jovens LGBTQ+ indígenas apátridas e sem terra.

Como feministabaixar 365 betuma minoria étnica/feminista lésbica indígena, Matcha Phorn-in tem um papelbaixar 365 betliderança no movimento para acabar com a violência com basebaixar 365 betgênero na região, enquanto defende os direitos à terra e à justiça climática para as pessoas deslocadas e privadasbaixar 365 betdireitos.

Não pode haver soluções climáticas sustentáveis ​​sem a participação significativa e vozes das comunidades indígenas, LGBTQIA+, mulheres e meninas.

Matcha Phorn-in

Carolina Díaz Pimentel

Carolina Díaz Pimentel, Peru

Jornalista

Quando Carolina Díaz Pimentel foi diagnosticada com autismo, por volta dos 20 anos, ela fez um bolo para comemorar o fatobaixar 365 betfinalmente saber que era neurodivergente.

Agora, na casa dos 30 anos e "orgulhosamente autista", ela trabalha como jornalista especializadabaixar 365 betneurodivergência e na coberturabaixar 365 betsaúde mental.

Díaz também trabalha para acabar com o estigma que as pessoas com deficiência psicossocial muitas vezes enfrentam. Ela é fundadorabaixar 365 betvários projetos e organizações sem fins lucrativos que aumentam a conscientização sobre a neurodiversidade: Mas Que Bipolar (Mais que bipolar), a Coalizão Neurodivergente Peruana e o Proyecto Atipo (Projeto Atípico).

Ela é bolsista do Pulitzer Center e pesquisadora do Rosalynn Carter.

Shairbu Sagynbaeva

Shairbu Sagynbaeva, República do Quirguistão

Cofundadora da lojabaixar 365 betcostura For Life

Depoisbaixar 365 betfazer três anosbaixar 365 bettratamento intensivo para um câncerbaixar 365 betestágio quatro, ebaixar 365 betlutar para pagar os medicamentos, Shairbu Sagynbaeva está agorabaixar 365 betremissão.

Junto com outros quatro pacientes com câncerbaixar 365 betremissão, ela montou a oficinabaixar 365 betcostura For Life, onde confeccionam e vendem bolsas com enfeites típicos nacionais, doando todos os lucros para apoiar o tratamento do câncer.

Até agora, já arrecadaram maisbaixar 365 betUS$33 mil dólares para 34 mulheres que precisavambaixar 365 betapoio financeiro para cobrir seus custos médicos.

Sagynbaeva também percebeu que havia necessidadebaixar 365 betapoiar os pacientes que viviam longe do centrobaixar 365 bettratamento, e ajudou a estabelecer um albergue sem fins lucrativos,baixar 365 betlocal próximo, onde eles pudessem ficar.

Daria Serenko

Daria Serenko, Rússia

Poetisa

A escritora e ativista política Daria Serenko é uma das muitas coordenadoras da resistência Feminista Anti-Guerra, um movimento contra a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Nos últimos nove anos, ela tem escrito sobre a violênciabaixar 365 betgênero na Rússia, produzindo dois livrosbaixar 365 betprosa feminista e anti-guerra.

Serenko também é a criadora da iniciativa artística Quiet Pickett,baixar 365 betque faz usobaixar 365 betcartazes com mensagens para envolver pessoasbaixar 365 betquestões específicas.

Duas semanas antesbaixar 365 beta Rússia iniciar a invasãobaixar 365 betgrande escala da Ucrânia, Serenko foi detida pelas autoridades acusadabaixar 365 betespalhar mensagens "extremistas". Pouco depois, imigrou para a Geórgia e passou a ser designada "agente estrangeira" pelas autoridades russas.

Kera Sherwood-O'Regan

Kera Sherwood-O'Regan, Nova Zelândia

Ativista dos direitos indígenas e da deficiência

Indígena Kāi Tahu (a principal tribo maori), especialistabaixar 365 betclima e portadorabaixar 365 betdeficiência, Kera Sherwood-O'Regan ébaixar 365 betTe Waipounamu, a Ilha Sul da Nova Zelândia.

Ela é cofundadora da Activate, uma agênciabaixar 365 betimpacto social especializadabaixar 365 betjustiça climática e mudanças sociais.

Seu trabalho baseia-se nas abordagens maori da terra e dos antepassados, que até recentemente eram ignoradas pelas principais discussões sobre o clima.

Sherwood-O'Regan construiu relações com ministros, funcionários e a sociedade civilbaixar 365 betgeral para destacar os efeitos das alterações climáticas nas suas comunidades, ao mesmo tempobaixar 365 betque luta por um maior reconhecimento dos direitos dos povos indígenas e das pessoas com deficiência nas negociações climáticas.

Estamos rejeitando o modelo extrativista, ocupando espaços e liderando juntamente com a comunidade. Está funcionando. Penso que muitas pessoas reconhecem agora que a realização da soberania indígena é a solução para a crise climática.

Kera Sherwood-O'Regan

Sagarika Sriram

Sagarika Sriram, Emirados Árabes Unidos

Educadora e conselheira climática

A adolescente Sagarika Sriram está lutando para tornar a educação climática uma disciplina obrigatória nas escolas.

Usando seus conhecimentosbaixar 365 betprogramação, ela criou a plataforma online Kids4abetterworld, que visa a ajudar a educar criançasbaixar 365 bettodo o mundo e a apoiá-lasbaixar 365 betprojetosbaixar 365 betsustentabilidadebaixar 365 betsuas comunidades.

Ela reforça a iniciativa com workshops ambientais online e offline, ensinando às crianças como podem ter um impacto positivo nas alterações climáticas.

Alémbaixar 365 betestudar para o A-levelbaixar 365 betDubai, Sriram faz parte da equipe consultiva infantil do Comitê das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança,baixar 365 betque defende os direitos ambientais.

Não é horabaixar 365 betalarme, masbaixar 365 betação, para que cada criança seja educadabaixar 365 betforma a viver mais sustentavelmente e a impulsionar mudanças sistêmicas necessárias no mundo.

Sagarika Sriram

Clara Elizabeth Fragoso Ugarte

Clara Elizabeth Fragoso Ugarte, México

Motoristabaixar 365 betcaminhão

A caminhoneira Clara Elizabeth Fragoso Ugarte dedicou 17 anosbaixar 365 betsua vida a uma indústria sabidamente dominada pelos homens, viajando por todo o México por algumas das estradas mais perigosas do país.

Naturalbaixar 365 betDurango, Fragoso Ugarte casou-se aos 17 anos, é mãebaixar 365 betquatro filhos e avóbaixar 365 betsete.

Como 'trailera', como são chamadas as caminhoneiras no México, ela passa a vida na estrada, entregando mercadorias no México e nos EUA.

Ela também ajuda a treinar jovens motoristas e quer inspirar outras mulheres a entrar na indústria, a fimbaixar 365 betalcançar a igualdadebaixar 365 betgênero no mundo do transporte rodoviáriobaixar 365 betcargas pesadas.

Louise Mabulo

Louise Mabulo, Filipinas

Agricultora e empresária

Em 2016, o tufão Nock-Ten atingiu partesbaixar 365 betCamarines Sur, nas Filipinas, arrasando 80% das terras agrícolas.

Louise Mabulo desafiou a devastação fundando o Cacao Project logo após. A organização pretende revolucionar os sistemas alimentares locais com usobaixar 365 betagroflorestas sustentáveis.

Mabulo capacita os agricultores, desmantela sistemas alimentares destrutivos e defende uma economia verde liderada pelas zonas rurais, devolvendo o controle para as mãos daqueles que cultivam a terra.

Ela assessora o desenvolvimentobaixar 365 betpolíticas climáticas internacionais, amplificando histórias e conhecimentos rurais. E foi reconhecida pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente como Jovem Campeã da Terra.

Me dá esperança saber que os movimentosbaixar 365 bettodo o mundo estão sendo feitos por pessoas como eu, manejando um futuro com paisagens verdes que conectem comunidades e no qual nossa alimentação seja sustentável e acessível. Nesse futuro, as nossas economias são circulares e impulsionadas por princípios justos e equitativos.

Louise Mabulo

Oksana Zabuzhko

Oksana Zabuzhko, Ucrânia

Escritora

Autorabaixar 365 betmaisbaixar 365 bet20 obras, entre ficção, poesia e não-ficção, Oksana Zabuzhko é considerada uma das maiores escritoras e intelectuais da Ucrânia.

Internacionalmente, ela é conhecida por trabalhos como Field Work in Ukraine Sex e The Museum of Abandoned Secrets.

Ela é formada pelo departamentobaixar 365 betFilosofia da Universidade Shevchenkobaixar 365 betKiev e tem doutoradobaixar 365 betFilosofia das Artes.

Seus livros foram traduzidos para 20 línguas e ganharam vários prêmios nacionais e internacionais, entre os quais o Prêmio Literário da Europa Central Angelus, o Prêmio Nacional Shevchenko da Ucrânia e a Ordem Nacional da Legiãobaixar 365 betHonra Francesa.

baixar 365 bet Entretenimento e Esporte
Aitana Bonmatí

Aitana Bonmatí, Espanha

Jogadorabaixar 365 betfutebol

Nascida na Catalunha, a meio-campo Aitana Bonmatí venceu este ano o Campeonato Espanhol e a Liga dos Campeões com seu time, o Barcelona.

Mas foi durante a Copa do Mundo que se tornou uma estrela mundial: ela foi fundamental para a vitória da Espanha, marcando três gols e sendo eleita a melhor jogadora do torneio. Aos 25 anos, ganhou o prêmio Bolabaixar 365 betOuro e foi eleita a melhor jogadora do ano da Uefa.

Sem medobaixar 365 betusarbaixar 365 betvoz dentro e fora do campo, Bonmatí defende igualdade para o futebol feminino.

Com a vitóriabaixar 365 betseu país na Copa do Mundo 2023 ofuscada pela repercussão do beijo dado pelo então presidente da federação espanholabaixar 365 betfutebol, Luis Rubiales, na bocabaixar 365 betuma jogadora, Jenni Hermoso, Bonmatí usou seu discursobaixar 365 betaceitação da Uefa para mostrar apoio abaixar 365 betcompanheirabaixar 365 betequipe e a outras mulheres que enfrentam desafios semelhantes.

Antinisca Cenci

Antinisca Cenci, Itália

Atletabaixar 365 betsalto artístico

Quando Antinisca Cenci começou no salto artístico, aos 30 anos, ela não imaginava que, 10 anos depois, estariabaixar 365 betturnê com uma equipe que pratica salto equestre.

Naturalbaixar 365 betLa Fenice, no norte da Itália,baixar 365 betvida não foi fácil. Disseram àbaixar 365 betmãe que a filha não "sobreviveria ao primeiro resfriado", devido a complicações no parto.

Cenci começou a saltar como partebaixar 365 betum programa iniciado pelo centro local ANFFAS (Associação Nacional Italiana para Famílias e Pessoas com Deficiência) e pela equipebaixar 365 betsalto La Fenice.

Ela hoje treina com a campeã mundialbaixar 365 betsaltos Anna Cavallaro e o treinador Nelson Vidoni.

Andreza Delgado

Andreza Delgado, Brasil

Curadora e gerente cultural

Buscando levar a experiênciabaixar 365 betparticiparbaixar 365 betum encontrobaixar 365 betapaixonados pelo universo das históriasbaixar 365 betquadrinhos com moradoresbaixar 365 betbairros da periferiabaixar 365 betSão Paulo, Andreza Delgado ajudou a lançar a PerifaCon.

O evento gratuito concentra-sebaixar 365 betautoresbaixar 365 betquadrinhos, artistas e outros colaboradores das favelas brasileiras, que geralmente são deixadosbaixar 365 betlado como consumidores ou criadores culturais.

Com históriasbaixar 365 betquadrinhos, videogames, shows e outros recursos da "cultura geek", a terceira PerifaCon aconteceubaixar 365 bet2023, com um públicobaixar 365 betmaisbaixar 365 bet15 mil pessoas.

Usando seu espaço como YouTuber e podcaster, Delgado defende a democratização do acesso à cultura no Brasil, dedicando-se especialmente ao trabalhobaixar 365 betartistas negros.

Desak Made Rita Kusuma Dewi

Desak Made Rita Kusuma Dewi, Indonésia

Escaladorabaixar 365 betvelocidade

Quando estava na escola primáriabaixar 365 betBali, Desak Made Rita Kusuma Dewi foi convidada a experimentar uma paredebaixar 365 betescalar, e logo se apaixonou pela escaladabaixar 365 betvelocidade.

Ela teve grande sucessobaixar 365 betcompetições juvenis, mas a "rainha da escalada da Indonésia" atingiu o ápice este ano, conquistando o ouro na prova femininabaixar 365 betvelocidade do Campeonato Mundialbaixar 365 betEscalada IFSCbaixar 365 bet2023 com um tempo recordebaixar 365 bet6.49 segundos.

O feito garantiu seu lugar nas Olimpíadasbaixar 365 betParis 2024, quando a escaladabaixar 365 betvelocidade será um evento separado pela primeira vez.

A escaladora pode fazer história pela Indonésia, que até aqui só ganhou medalhasbaixar 365 betbadminton, levantamentobaixar 365 betpeso e tiro com arco.

America Ferrera

America Ferrera, Estados Unidos

Atriz

Um rosto amplamente reconhecido do mundo do entretenimento, a premiada atriz, diretora e produtora America Ferrera é famosa por vários papéis icônicos — incluindo o recente sucessobaixar 365 betbilheteria Barbie, Mulheres Reais Têm Curvas e a sériebaixar 365 betsucesso Ugly Betty.

Ela tornou-se a pessoa mais jovem a ganhar um Emmy na categoriabaixar 365 betatriz principal por seu papelbaixar 365 betUgly Betty — e a primeira latina. Ativistabaixar 365 betlonga data, Ferrera é uma oradora prolífica sobre os direitos das mulheres e a necessidadebaixar 365 better mais representatividade nas telas.

Filhabaixar 365 betimigrantes hondurenhos, ela faz campanha para melhorar a vida das latinas nos EUA por meiobaixar 365 betsua organização sem fins lucrativos, Poderistas.

Anne Grall

Anne Grall, França

Comediante

O Greenwashing Comedy Club é um coletivo stand-up que aborda questões ambientais, bem como feminismo, pobreza, deficiência e direitos LGBTQ+.

Foi fundado pela comediantebaixar 365 betstand-up Anne Grall. Ela acredita que, por meio do humor, é possível plantar sementesbaixar 365 betmudança na cabeça das pessoas e até influenciar seus hábitos.

Numa sociedade movida pelo entretenimento, onde prevalecem conceitos concisos e mensagens curtas, Grall acredita que o humor, muitas vezes dependentebaixar 365 betexageros e frasesbaixar 365 betefeito, pode ser um excelente meio para compartilhar ideias sobre as alterações climáticas.

O sucesso do Greenwashing Comedy Club é bastante animador porque indica que muitas pessoas hoje estão preocupadas com as mudanças climáticas e querem se unir, rir e sair do show se sentindo prontas para continuar a luta!

Anne Grall

Georgia Harrison

Georgia Harrison, Reino Unido

Personalidade da TV

Após Georgia Harrison ter sido vítimabaixar 365 betabuso sexual por imagens, ela decidiu usarbaixar 365 bethistória para ajudar a combater a violência contra as mulheres e mudar a forma como o Reino Unido entende o consentimento.

A personalidade da TV, conhecida por suas apariçõesbaixar 365 betprogramas como Love Island e The Only Way is Essex, liderou uma campanha por uma emenda ao projetobaixar 365 betleibaixar 365 betsegurança on-line do Reino Unido que facilite a responsabilização por crimesbaixar 365 betabuso com imagem íntima, também conhecidos como "pornografiabaixar 365 betvingança".

Harrison agora pede que as plataformas digitais sofram consequências mais duras por hospedar imagens ou filmagens registradas ou compartilhadas sem consentimento.

Harmanpreet Kaur

Harmanpreet Kaur, Índia

Jogadorabaixar 365 betcríquete

Em 2023, Harmanpreet Kaur tornou-se a primeira mulher indiana a ser nomeada uma das cinco jogadorasbaixar 365 betcríquete do ano pela Wisden, publicação conhecida como a bíblia do esporte.

A capitã da seleção femininabaixar 365 betcríquete da Índia é uma artilheira prolífica no país e fora dele. No ano passado, ela levoubaixar 365 betequipe a conquistar a medalhabaixar 365 betprata nos Jogos da Commonwealth.

No críquete doméstico, ela liderou as Indianasbaixar 365 betMumbai para a vitória da primeira Women's Premier Leaguebaixar 365 betmarço.

Um dos destaquesbaixar 365 betsua carreira ocorreubaixar 365 bet2017, quando ela marcou 171 corridasbaixar 365 bet115 bolas pela Índia na semifinal da Copa do Mundo Feminina contra a Austrália, ajudando a levar seu time à final.

Dayeon Lee

Dayeon Lee, Coreia do Sul

Fundadora da Kpop4Planet

Com seu Kpop4Planet, Dayeon Lee reúne fãsbaixar 365 betK-popbaixar 365 bettodo o mundo para confrontar a crise climática.

Desde o seu lançamentobaixar 365 bet2021, o grupo ativista a pessoas influentes, das maiores empresasbaixar 365 betentretenimento e serviçosbaixar 365 betstreaming da Coreia do Sul, que tomem medidasbaixar 365 betcombate às mudanças climáticas e façam a transição para as energias renováveis.

O grupo destacou as implicações ambientais do lixo gerado pelos álbuns físicos, o que levou figuras icônicas do K-pop a migrar para os álbuns digitais.

Dayeon Lee está agora indo além da música para desafiar as promessas climáticas das marcasbaixar 365 betmodabaixar 365 betluxo, que muitas vezes usam celebridades do K-pop como seu rosto público.

Ao defender a justiça social, nunca desistimos até promovermos uma mudança. Provamos repetidamente e continuaremos a fazê-lo, lutando contra a crise climática.

Dayeon Lee

Justina Miles

Justina Miles, Estados Unidos

Artista surda

No Super Bowl LVII,baixar 365 betfevereiro, um dos eventos esportivos mais assistidos do mundo, Justina Miles fez história.

A artista, deficiente auditiva, viralizou e desviou a atenção da ícone pop Rihanna ao interpretar as letras da megaestrelabaixar 365 betforma enérgica e carismática.

Ela tornou-se a primeira mulher surda a executar a linguagembaixar 365 betsinais americana (ASL) no prestigiado showbaixar 365 betintervalo do Super Bowl. Sua versãobaixar 365 betlinguagem dos sinaisbaixar 365 betLift Every Voice and Sing — conhecida como Hino Nacional Negro — também foi a primeira no evento.

Milharesbaixar 365 betpessoas querem mostrar ao mundo representações mais autênticasbaixar 365 betpessoas surdas e ela espera abrir o seu próprio consultório para formar mais enfermeiras surdas.

Dia Mirza

Dia Mirza, Índia

Atriz

A atriz Dia Mirza não só ganhou prêmios por seus papéis no cinema indiano, mas também está envolvidabaixar 365 betvários projetos ambientais e humanitários.

Como Embaixadora da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Mirza luta por questões como mudanças climáticas, ar puro e proteção da vida selvagem.

Ela é fundadora da One India Stories, uma produtorabaixar 365 betconteúdo cujo objetivo é contar históriasbaixar 365 betimpacto que, nas palavras dela, "fazem você parar e pensar".

Ela também é embaixadora da organização Save the Children, do Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal e integrante do conselho da Sanctuary Nature Foundation.

Zandile Ndhlovu

Zandile Ndhlovu, África do Sul

Instrutorabaixar 365 betmergulho livre

Como primeira instrutora negrabaixar 365 betmergulho livre da África do Sul, Zandile Ndhlovu quer diversificar o acesso ao oceano.

Ela criou a Fundação Black Mermaid (Sereia Negra), que põe jovens e comunidades locaisbaixar 365 betcontato com o oceano, na esperançabaixar 365 betajudar novos grupos a utilizar estes espaçosbaixar 365 betforma recreativa, profissional e desportiva.

Ndhlovu é uma exploradora do oceano, contadorabaixar 365 bethistórias e cineasta. Ela usa essas habilidades para ajudar a formar uma nova geraçãobaixar 365 betGuardiões dos Oceanos — pessoas que aprendem sobre a poluição das águas e o aumento do nível do mar e se envolvem na proteção do meio ambiente.

Pensando no númerobaixar 365 betvozes jovens, erguendo-me para criar mudanças na sociedade me dá esperança num contextobaixar 365 betcrise climática.

Zandile Ndhlovu

Alice Oseman

Alice Oseman, Reino Unido

Roteirista

Autora, ilustradora e roteirista premiada, Alice Oseman é a criadorabaixar 365 betHeartstopper, uma históriabaixar 365 betquadrinhos para jovens adultos que virou best-seller. Ela também transformou a história da maioridade LGBTQ+baixar 365 betuma adaptação televisiva para a Netflix ganhadora do Emmy.

Oseman escreveu todos os episódios e participoubaixar 365 bettodas as fases da produção, da escolha do elenco às músicas.

Ela é autorabaixar 365 betdiversos outros romances para jovens, incluindo Radio Silence, Loveless e Solitaire, o último publicado quando ela tinha apenas 19 anos.

Seus livros ganharam, foram selecionados ou indicados para vários prêmios, incluindo o YA Book Prize, o Inky Awards, a Carnegie Medal e o Goodreads Choice Awards.

Paramida

Paramida, Alemanha

DJ e produtora musical

Muito antesbaixar 365 betprotestos eclodirem no Irã no ano passado, a DJ Paramida já desafiava as restrições culturais para mulheresbaixar 365 betascendência iraniana.

Paramida descobriubaixar 365 betpaixão pela música e pela dança enquanto morava entre Frankfurt e Teerã na adolescência. Agora ela morabaixar 365 betBerlim.

Inspirada na icônica história da dance music,baixar 365 betgravadora Love On The Rocks hoje promove uma culturabaixar 365 betdança eufórica e alternativa.

Como DJ residente do Berghain's Panorama Barbaixar 365 betBerlim, tornou-se mundialmente procurada e uma produtora musicalbaixar 365 betsucesso. Ela usa o espaço que conquistou para desafiar os padrõesbaixar 365 betgênero na indústria musical e na vida noturna ambas dominadas por homens.

Camila Pirelli

Camila Pirelli, Paraguai

Atleta olímpica

Emborabaixar 365 betespecialidade seja o heptatlo, foi competindo nos 100m com barreiras que Camila Pirelli chegou às Olimpíadasbaixar 365 betTóquio.

Conhecida pelo apelidobaixar 365 betPantera Guarani, a atleta detém diversos recordes nacionais do atletismo, alémbaixar 365 betser técnica esportiva e professorabaixar 365 betinglês.

Pirelli cresceubaixar 365 betuma família com consciência ambientalbaixar 365 betuma pequena cidade do Paraguai, onde viubaixar 365 betperto os impactos das mudanças climáticas.

Ela é agora uma Campeã EcoAthlete, ou seja, está comprometida a usar abaixar 365 betplataforma desportiva para encorajar as pessoas a falar sobre as alterações climáticas e a tomar medidas para reduzir as emissõesbaixar 365 betcarbono.

Crescibaixar 365 betuma cidadebaixar 365 betque ver animais selvagens era uma ocorrência diária. Saber que esses mesmos animais estão sofrendo por causa das alterações climáticas me preocupa e me faz querer ajudar.

Camila Pirelli

Aziza Sbaity

Aziza Sbaity, Líbano

Velocista

Celebrada como "a mulher libanesa mais rápida da história" depoisbaixar 365 betquebrar o recorde nacional dos 100m, Aziza Sbaity voltou recentemente às manchetes como a primeira atleta negra do seu país a conquistar o ouro nos campeonatos Árabe e da Ásia Ocidental deste ano.

Filhabaixar 365 betmãe liberiana e pai libanês, Sbaity mudou-se para o Líbano aos 11 anos, onde confrontou-se com o racismo e o classismo com base na cor.

O atletismo tornou-se o seu caminho para autodescoberta e empoderamento e alimentou o compromisso com a defesabaixar 365 betdireitos.

Ela usa abaixar 365 betposição para falar sobre o racismo sistêmico no país e defender a inclusão e a igualdade, trabalhando com escolas e universidades para inspirar a juventude libanesa.

Khine Hnin Wai

Khine Hnin Wai, Mianmar

Atriz

Há quase 25 anos na carreirabaixar 365 betatriz, foi o papelbaixar 365 betprotagonista do filme San Ye que tornou Khine Hnin Wai uma das atrizesbaixar 365 betmaior sucesso do cinema birmanês.

Hojebaixar 365 betdia, porém, ela é mais conhecida por seu trabalhobaixar 365 betcaridade. Em 2014, ela criou a Fundação Khine Hnin Wai, uma instituição que apoia diversas causas, entre elas o cuidadobaixar 365 betórfãos ebaixar 365 betcrianças abandonadas.

Através da fundação, ela cuida, hoje,baixar 365 betcercabaixar 365 bet100 crianças cujos pais, por motivos diversos, não têm condiçõesbaixar 365 betsustentar os filhos.

Hnin Wai é também embaixadora para a prevenção do tráficobaixar 365 betcrianças.

Bianca Williams

Bianca Williams, Reino Unido

Atleta

Medalhistabaixar 365 betouro da Europa e da Commonwealthbaixar 365 betatletismo nos 4x100m, Bianca Williams foi a capitã da Grã-Bretanha e da Irlanda do Norte no Campeonato Europeubaixar 365 betEquipesbaixar 365 bet2023.

Em julho, ela terminoubaixar 365 betsegundo lugar nos 200m no Campeonatobaixar 365 betAtletismo do Reino Unido para garantir vaga na equipe britânica no Campeonato Mundialbaixar 365 betAtletismobaixar 365 betBudapeste.

Ela e seu companheiro, o também atleta Ricardo dos Santos, foram parados e revistados por policiaisbaixar 365 betLondresbaixar 365 betjulhobaixar 365 bet2020.

Williams e dos Santos fizeram uma queixa oficial, acusando a políciabaixar 365 betdiscriminação racial. Dois policiais foram considerados culpados por má conduta grave e, como resultado, foram demitidos.

baixar 365 bet Política e Direito
Maryam Al-Khawaja

Maryam Al-Khawaja, Bahrein/Dinamarca

Ativista dos direitos humanos

A ativista dinamarquesa-barenita dos direitos humanos Maryam Al-Khawaja é uma vozbaixar 365 betliderança a favor da reforma política no Bahrein e na região do Golfo.

Seu trabalho busca lançar luz sobre as violações dos direitos humanos, defendendo especialmente a libertação do seu pai, Abdulhadi Al-Khawaja, por meio da campanha #FreeAlKhawaja. Ele é um ativistabaixar 365 betdestaque e prisioneirobaixar 365 betconsciência que cumpre penabaixar 365 betprisão perpétua depoisbaixar 365 betparticipar nos protestos pró-democracia no Bahreinbaixar 365 bet2011.

Al-Khawaja atuoubaixar 365 betvários conselhos, incluindo o Civicus e o Serviço Internacional para os Direitos Humanos, e atua na organização jovem feminista FRIDA e nos Médicos pelos Direitos Humanos.

Shamsa Araweelo

Shamsa Araweelo, Somália/Reino Unido

Ativista contra a Mutilação Genital Feminina

Impulsionada porbaixar 365 betdeterminaçãobaixar 365 betacabar com a mutilação genital feminina (MGF), Shamsa Araweelo educa e sensibiliza por meio dos seus poderosos e diretos vídeos publicados on-line.

Araweelo, que nasceu na Somália, mas atualmente vive no Reino Unido, foi submetida, aos seis anosbaixar 365 betidade, à mutilação genital feminina, um procedimentobaixar 365 betque os órgãos genitaisbaixar 365 betuma mulher são parcial ou totalmente removidos por razões não médicas.

Com maisbaixar 365 bet70 milhõesbaixar 365 betvisualizações no TikTok, ela quer garantir que ninguém esteja desinformado.

Ela agora auxilia cidadãs britânicas presas no exterior que enfrentam violência baseada na honra. Também presta consultoria sobre MGF à Polícia Metropolitanabaixar 365 betLondres e abriubaixar 365 betprópria instituiçãobaixar 365 betcaridade, chamada Garden of Peace.

Yasmina Benslimane

Yasmina Benslimane, Marrocos

Fundadora da Politics4Her

Dedicada a promover a igualdadebaixar 365 betgênero, Yasmina Benslimane fundou a Politics4Her, uma organização que impulsiona a participaçãobaixar 365 betmulheres jovens e meninasbaixar 365 betprocessos políticos ebaixar 365 bettomadabaixar 365 betdecisão.

Em setembro, quando um terremoto devastador atingiu o Marrocos, seu país natal, Benslimane ebaixar 365 betorganização fizeram um pedidobaixar 365 betajuda que era voltado às questõesbaixar 365 betgênero.

Ela publicou um manifesto identificando os desafios específicosbaixar 365 betmulheres e meninas que seriam exacerbados pela catástrofe, como a pobreza menstrual e os casamentos forçados.

Como mentora, conselheira e membro do conselhobaixar 365 betdiversas organizações sem fins lucrativos, ela ajuda mulheres jovens a desenvolverem suas habilidadesbaixar 365 betliderança. O trabalho desenvolvido até aqui já lhe rendeu o prêmiobaixar 365 betconstrutora da paz da ONU Mulheres.

Yael Braudo-Bahat

Yael Braudo-Bahat, Israel

Advogada

Como co-diretora da Women Wage Peace (WWP), Yael Braudo-Bahat trazbaixar 365 betexperiência na advocacia para um movimentobaixar 365 betpaz com bases sólidas e cercabaixar 365 bet50 mil integrantes.

Criadobaixar 365 bet2014, a WWP busca negociar uma resolução política para o conflito Israel-Palestina, enfatizando o papel das mulheres no processobaixar 365 betpaz.

Ao longo dos últimos dois anos, a WWP colaborou com a iniciativa "irmã" palestina, a Women of the Sun.

Braudo Bahat diz que ela deve muito àbaixar 365 betmentora, a proeminente pacifista e co-fundadora da WWP, Vivian Silver, que dedicou décadasbaixar 365 betsua vida a promover entendimento e igualdade entre israelenses e palestinos. Silver foi morta no ataque do Hamasbaixar 365 bet7baixar 365 betoutubrobaixar 365 bet2023.

Alicia Cahuiya

Alicia Cahuiya, Equador

Ativista dos direitos indígenas

Como figura-chave na luta para proteger a Floresta Amazônica do Equador, Alicia Cahuiya obteve uma grande vitória este ano.

Num referendo histórico promovidobaixar 365 betagosto, os equatorianos votaram pela suspensãobaixar 365 bettodos os novos poçosbaixar 365 betpetróleo no Parque Nacional Yasuní. Essa decisão significará que a petrolífera estatal vai precisar encerrar as suas operações numa das regiõesbaixar 365 betmaior biodiversidade do planeta e abrigobaixar 365 betpopulações indígenas isoladas.

Cahuiya, que nasceubaixar 365 betYasuní e é líder da nação Waorani (NAWE), fazia campanha por um referendo há maisbaixar 365 betuma década.

Ela é atualmente chefe da divisão feminina da Confederação dos Povos Indígenas do Equador.

As alterações climáticas tornaram as coisas muito diferentes para nós, causando inundações que destroem as nossas colheitas. Quando o sol está muito quente e há seca, grande parte dos nossos alimentos são perdidos, o que nos traz muita tristeza, pois todo o esforço colocado nas colheitas é desperdiçado.

Alicia Cahuiya

Amal Clooney

Amal Clooney, Reino Unido/Líbano

Advogada especializadabaixar 365 betdireitos humanos

Amal Clooney é uma advogadabaixar 365 betdireitos humanos premiada que passou as últimas duas décadas defendendo vítimasbaixar 365 betinjustiças.

Ela esteve à frentebaixar 365 betcasos importantes envolvendo crimes contra a humanidade na Armênia e na Ucrânia, e tambémbaixar 365 betviolência sexual contra mulheres no Malawi e no Quênia.

Casos recentes bem sucedidos incluem a representaçãobaixar 365 betvítimasbaixar 365 betum combatente do Estado Islâmico ebaixar 365 betum comandantebaixar 365 betDarfur. Ela ajudou ainda a garantir a liberdadebaixar 365 betjornalistas ebaixar 365 betoutros presos políticos alvosbaixar 365 betregimes opressores.

Ela é professora-adjunta na Columbia Law School e cofundadora da Clooney Foundation for Justice, que oferece apoio jurídico gratuito a vítimasbaixar 365 betabusosbaixar 365 betdireitos humanosbaixar 365 betmaisbaixar 365 bet40 países.

Dehenna Davison

Dehenna Davison, Reino Unido

Membro do parlamento

Em 2019, Dehenna Davison tornou-se a primeira deputada conservadorabaixar 365 betBishop Auckland desdebaixar 365 betcriação,baixar 365 bet1885. Ela tornou-se secretária para Igualdadebaixar 365 bet2022, com focobaixar 365 betmobilidade social e regeneração.

Em setembrobaixar 365 bet2023 ela renunciou, falando abertamente sobre seu diagnósticobaixar 365 betenxaqueca crônica.

Quando Davison tinha 13 anos, seu pai foi morto com um único soco, catalisandobaixar 365 bettrajetória na política. Ela fundou o Grupo Parlamentarbaixar 365 betTodos os Partidos sobre Ataquesbaixar 365 betUm Soco (One Punch) e faz campanha com One Punch UK por reforma judiciária e penal.

Ela também dedica-se a melhorar os caminhosbaixar 365 bettratamento para enxaqueca crônica e a fazer campanha por mais financiamento para pesquisas sobre câncer lobular invasivo.

Christiana Figueres

Christiana Figueres, Costa Rica

Diplomata e negociadorabaixar 365 betpolítica climática

Quando as negociações foram interrompidas no encontro climático da ONUbaixar 365 betCopenhagen,baixar 365 bet2009, Christiana Figueres foi chamada para resolver um problema.

Nomeada Secretária Executiva da Convenção das Nações Unidas (para o estabelecimentobaixar 365 betnormas e metas sobre) Alterações Climáticas, Figueres passou os seis anos seguintes desenvolvendo um plano para garantir que os diferentes países concordassem com uma estratégia climática compartilhada.

Graças,baixar 365 betparte, ao seu trabalho, representantesbaixar 365 betquase 200 interesses distintos assinaram o histórico acordobaixar 365 betParisbaixar 365 bet2015 — um tratado internacional que estabelece o compromissobaixar 365 betmanter o aumento da temperatura média global "bem abaixo"baixar 365 bet2,0ºC acima dos níveis pré-industriais.

Figueres é cofundadora da Global Optimism, uma organização que trabalha com empresas para adotar soluções climáticas práticas.

Às vezes me sinto dominada pela dor e fico paralisada pelas minhas emoções, incapazbaixar 365 betagir. Outras vezes, sinto raiva e sou sequestrada por minhas emoções, querendo reagir. Mas, nos melhores dias, uso minha dor e raiva para me ancorar na raiz das minhas emoções, transformando-asbaixar 365 betum compromisso profundobaixar 365 betagir a partir da força, do amor e da alegria, ajudando a criar o mundo melhor que todos desejamos para os nossos filhos e seus descendentes.

Christiana Figueres

Bella Galhos

Bella Galhos, Timor Leste

Ativista política

Uma ativista destemida, Bella Galhos tem sido fundamental para a transformação do Timor-Leste antes e depoisbaixar 365 beto país conquistar a independência da Indonésiabaixar 365 bet2002.

Durante os anos no exílio, ela viajou pelo mundo defendendo a autodeterminação do seu povo. Ao regressar ao Timor-Leste após a libertação, Galhos envolveu-se na reconstrução do país após décadasbaixar 365 betconflito que deixaram metade da população na pobreza extrema.

Em 2015, ela inaugurou a Escola Verde Leublora, que promove o desenvolvimento sustentável e inspira crianças a serem agentesbaixar 365 betmudança.

Galhos serve atualmente como conselheira do presidente do Timor-Leste, concentrando-se no empoderamento econômico das mulheres, e é uma voz proeminente da comunidade LGBTQ+.

Rina Gonoi

Rina Gonoi, Japão

Ex-militar

Soldados mulheres ajudaram Rina Gonoi,baixar 365 bet11 anos, na evacuação após o terremoto e tsunamibaixar 365 bet2011 e, desde então, ela sonha servir nas Forçasbaixar 365 betAutodefesa do Japão.

Ela tornou-se uma oficial, mas seus sonhosbaixar 365 betinfância foram arrasados ao sofrer assédio sexual "diariamente".

Gonoi deixou o Exército japonêsbaixar 365 bet2022 e lançou uma campanha pública pela responsabilização, uma tarefa difícil numa sociedade dominada pelos homens, onde sobreviventesbaixar 365 betabusos sexuais enfrentam uma reação violenta ao se manifestarem.

O caso levou os militares a realizarem uma investigação interna, que levou a maisbaixar 365 bet100 outras queixasbaixar 365 betassédio. O Ministério da Defesa apresentou, mais tarde, um pedidobaixar 365 betdesculpas a Gonoi.

Sonia Guajajara

Sonia Guajajara, Brasil

Ministrabaixar 365 betEstado

Figura proeminente no crescente movimento pelos direitos indígenas no Brasil, Sonia Guajajara tornou-se,baixar 365 bet2023, a primeira-ministra dos povos indígenas do seu país, numa nomeação histórica feita pelo recém-eleito presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ela prometeu fazer da batalha contra os crimes ambientais umabaixar 365 betsuas principais prioridades.

Guajajara nasceubaixar 365 betpais analfabetosbaixar 365 betAraribóia, na região amazônica, onde pôde verbaixar 365 betmuito perto a devastação que as mudanças climáticas podem causarbaixar 365 betum ecossistema.

Ela saiu para estudar literatura, trabalhar como enfermeira e professora, alémbaixar 365 betiniciar uma carreira no ativismo. Em 2022, tornou-se a primeira deputada indígena pelo Estadobaixar 365 betSão Paulo.

Temosbaixar 365 betpensarbaixar 365 betcomo promover a justiça climática e combater o racismo ambiental porque as pessoas que melhor podem proteger o ambiente são as primeiras e mais afetadas pelabaixar 365 betdestruição. Nós, os povos indígenas, somos os verdadeiros guardiões da biodiversidade e da vida.

Sonia Guajajara

Renita Holmes

Renita Holmes, Estados Unidos

Ativistabaixar 365 bethabitação

Moradora do bairro Little Haiti,baixar 365 betMiami, Madame Renita Holmes é a diretora fundadora da O.U.R. Homes, um escritóriobaixar 365 betconsultoria empresarial e imobiliária no Estado americano da Flórida.

Ela faz campanhas pelo direito à habitação por comunidades marginalizadas, incluindo aquelas afetadas pela gentrificação do clima, com o aumentobaixar 365 betpreços dos imóveisbaixar 365 betáreas mais distantes da costa causado pela elevação do nível do mar.

Criada por uma mãe solteirabaixar 365 bet11 filhos, Holmes é hoje idosa e vive com deficiência.

Ela é participante do programa Empowering Resilient Women do Cleo Institute, que busca incentivar ativismo climático por meio da educação apoiada na ciência. E auxilia agências locaisbaixar 365 bethabitaçãobaixar 365 betquestões relacionadas às mulheres afroamericanas e das grandes cidades.

Há esperançabaixar 365 betreconhecer o nosso vínculo feminino com a Mãe Terra. Somos resilientes, fortes, feitas para nutrir; agimos e cuidamos.

Renita Holmes

Nataša Kandić

Nataša Kandić, Sérvia

Advogada e ativistabaixar 365 betdireitos humanos

Desde o início da guerra na antiga Iugoslávia, no início da décadabaixar 365 bet1990, Nataša Kandić documentou atrocidades, incluindo violações, tortura, assassinatos e desaparecimentos forçados.

Ela representou as famíliasbaixar 365 betvítimasbaixar 365 betdiferentes etnias perante o Tribunalbaixar 365 betCrimesbaixar 365 betGuerrabaixar 365 betBelgrado e fez partebaixar 365 betum grupo que examinoubaixar 365 betmaneira crítica a política do governo do todo-poderoso da Sérvia, Slobodan Milosevic,baixar 365 betrelação ao Kosovo.

Kandić é a fundadora do Centrobaixar 365 betDireito Humanitário, frequentemente elogiado por suas investigações imparciais sobre crimesbaixar 365 betguerra.

Ela ajudou a organizar a Redebaixar 365 betReconciliação RECOM, que procura estabelecer os fatos sobre as guerras dos Balcãs, nas quais morreram cercabaixar 365 bet130.000 pessoas.

Rukshana Kapali

Rukshana Kapali, Nepal

Ativista da habitação

Integrante da nação indígena Newa, do Nepal, a ativista transgênero dos direitos humanos Rukshana Kapali sofreu com a faltabaixar 365 betinformação sobrebaixar 365 betidentidade quando era criança.

Ela embarcoubaixar 365 betum caminho própriobaixar 365 betautoeducaçãobaixar 365 bettorno da diversidadebaixar 365 betgênero e sexualidade. Ela se assumiu quando adolescente e é vocal nas redes sociais sobre questões relacionadas aos direitos queer.

Ela atualmente está no terceiro ano do cursobaixar 365 betDireito e é ativamente envolvida no avanço dos direitos legais e constitucionais para pessoas LGBTQ+ no Nepal.

Kapali vembaixar 365 betuma casta historicamente marginalizada dentro da etnia Newa, os jugi, e luta contra os despejos forçados do povo jugibaixar 365 betsuas casas tradicionais.

Sofia Kosacheva

Sofia Kosacheva, Rússia

Bombeira

Originalmente professorabaixar 365 betcanto lírico, Sofia Kosacheva encontrou outra vocação quando conheceu um grupobaixar 365 betbombeirosbaixar 365 bet2010.

Ela virou bombeira e criou uma comunidade para treinar voluntários no combate a incêndios florestais na Rússia. E criou maisbaixar 365 bet25 gruposbaixar 365 betvoluntáriosbaixar 365 bettodo o país.

Ela ajudou a apagar centenasbaixar 365 betincêndiosbaixar 365 bettoda a Rússia e colaborou com o Greenpeace, até que a ONG foi oficialmente rotulada como "organização indesejável" e abaixar 365 betfilial russa foi fechada.

Kosacheva também criou um site para bombeiros florestais voluntários, considerado o bancobaixar 365 betdados on-line mais completo,baixar 365 betrusso, com informações sobre prevenção e o controlebaixar 365 betincêndios florestais.

Não importa quão generalizada a crise climática seja, todas as grandes conquistas começam pequenas. Pode parecer que somos pequenos demais para mudar algo globalmente, mas devemos começar pelas mudanças que podemos fazer ao nosso redor.

Sofia Kosacheva

Monica McWilliams

Monica McWilliams, Reino Unido

Ex-política e negociadorabaixar 365 betpaz

Este ano completam-se 25 anos desde que o Acordo (de Paz) da Sexta-Feira Santa da Irlanda do Norte foi assinado. Monica McWilliams desempenhou um papel crucial como negociadora principal durante as conversaçõesbaixar 365 betpaz multipartidárias que levaram ao acordo.

Ela foi cofundadora da Coligaçãobaixar 365 betMulheres da Irlanda do Norte, um partido político que ultrapassou a divisão sectária e introduziu disposições críticas no tratadobaixar 365 betpaz.

Ela foi eleita para a primeira Assembleia Legislativa da Irlanda do Norte e, como Comissária Chefe da Comissãobaixar 365 betDireitos Humanos da Irlanda do Norte, redigiu o parecer sobre uma Declaraçãobaixar 365 betDireitos para a Irlanda do Norte.

McWilliams atua atualmente como comissária para a dissoluçãobaixar 365 betgrupos armados e já escreveu amplamente sobre violência contra as mulheres.

Najla Mohamed-Lamin

Najla Mohamed-Lamin, Saara Ocidental

Ativista pelos direitos das mulheres e pelo clima

Fundadora do Centro Bibliotecário Almasar, Najla Mohamed-Lamim quer educar sobre saúde e ambiente mulheres e crianças nos camposbaixar 365 betrefugiados saharauis no sudoeste da Argélia.

Originalmente do Sahara Ocidental, uma antiga colônia espanhola sob ocupação marroquina desde 1975,baixar 365 betfamília foi forçada a exilar-se após fugir da violência.

Nascida e criada nos camposbaixar 365 betrefugiados, Mohamed-Lamim aprendeu inglês quando adolescente, traduziu para delegações estrangeiras e conseguiu estudar no exterior fazendo um financiamento coletivo para cobrir os custos da universidade.

Depoisbaixar 365 betse formarbaixar 365 betdesenvolvimento sustentável e estudos sobre mulheres, regressou aos campos para ajudar maisbaixar 365 bet200 mil refugiados saharauis a lidar com a insegurança hídrica e alimentar agravada pelas alterações climáticas.

Temosbaixar 365 betenfrentar o impacto crescente das alterações climáticas numa região desértica, onde as nossas casas são regularmente destruídas por inundações e tempestadesbaixar 365 betareia, e o nosso povo sofre sob temperaturas extremas. Tudo isso enquanto o nosso povobaixar 365 betquase nada contribuiu para a crise climática.

Najla Mohamed-Lamin

Ulanda Mtamba

Ulanda Mtamba, Malawi

Ativista contra o casamento infantil

Ulanda Mtamba cresceubaixar 365 betuma comunidadebaixar 365 betLilongwe, capital do Malawi, que dava muito pouco apoio à educação das mulheres e onde meninas se viam pressionadas a abandonar a escola para casar-se antes dos 18 anos.

Mtamba desafiou o status quo da comunidade e não apenas conseguiu um diploma universitário, mas também concluiu um mestrado.

Ela defende a aplicação das leis existentes que protegem meninasbaixar 365 betcasamentos, bem como o aumento do investimento para tratar dos riscos à saúde associados à gravidez precoce.

Mtamba trabalha, no Malawi, como diretora nacional da AGE África, uma organização que busca a igualdadebaixar 365 betacesso ao ensino secundário para todas as meninas do continente.

Tamar Museridze

Tamar Museridze, Geórgia

Jornalista

Rosto conhecido da rede públicabaixar 365 betradiodifusão da Geórgia desde os 18 anos, a personalidade da TV Tamar Museridze — também conhecida como Tamuna — tinha tudo a seu favor. Masbaixar 365 betvida mudou drasticamente aos 31 anos, quando descobriu que era adotada.

Ela desistiubaixar 365 bettudo para procurar seus pais biológicos e, durantebaixar 365 betpesquisa, descobriu evidênciasbaixar 365 betque havia um mercado ilegalbaixar 365 betadoçãobaixar 365 betgrande escala operando na Geórgia desde a décadabaixar 365 bet1950.

Ela criou o grupo no Facebook "Estou procurando" e gerou um debate nacional sobre a adoção ilegal, principalmentebaixar 365 betbebês retiradosbaixar 365 betmaternidades.

A organizaçãobaixar 365 betMuseridze ajudou no reencontrobaixar 365 betcentenasbaixar 365 betfamílias, mas ela ainda procura abaixar 365 betprópria.

Neema Namadamu

Neema Namadamu, República Democrática do Congo

Ativista pelos direitos das pessoas com deficiência

A rede Hero Women Rising, ou Mama Shuja, visa a melhorar as condiçõesbaixar 365 betvida das mulheres e adolescentes da República Democrática do Congo.

Ativista pelos direitos das pessoas com deficiência, Neema Namadamu fundou a organização, que utiliza a educação e a tecnologia para amplificar as vozes das mulheres e ensiná-las a defender os seus direitos.

Nascida numa região remota do leste do Congo, Namadamu contraiu poliomielite aos dois anosbaixar 365 betidade. Ela foi a primeira mulher com deficiênciabaixar 365 betseu grupo étnico a se formar na universidade.

Tornou-se integrante do parlamento e foi conselheira do ministério do gênero e da família do país.

Michelle Obama

Michelle Obama, Estados Unidos

Advogada, escritora e ativista

A ex-primeira-dama dos Estados Unidos Michelle Obama é a criadora da Girls Opportunity Alliance, apoiadorabaixar 365 betorganizações globais que trabalham para garantir que meninas recebam a educação que merecem.

Outra iniciativabaixar 365 betMichelle, a Let Girls Learn, lançada quando ela ainda era primeira-dama, envolveu o governo para ajudar jovens meninas do mundo todo a ter acesso a uma educaçãobaixar 365 betqualidade.

Como primeira-dama, ela defendeu três outras iniciativas importantes: a Let's Move! visa a ajudar os pais a criar filhos mais saudáveis; a Joining Forces apoia servidores das Forças Armadas americanas, veteranos e suas famílias; e a Reach Higher — na qual ainda atua — que incentiva os jovens a cursar o ensino superior.

Sepideh Rashnu

Sepideh Rashnu, Irã

Escritora e artista

Sepideh Rashnu tornou-se conhecida no Irã porbaixar 365 betoposição vocal às regras obrigatórias do hijab.

Após brigarbaixar 365 betum ônibus com uma mulher que a obrigava a cobrir a cabeça com o véu, Rashnu foi presa.

Ainda sob custódia, ela apareceu na TV estatal com o rosto machucado, 'pedindo desculpas' por seu comportamento. Isso aconteceubaixar 365 betjulhobaixar 365 bet2022, poucas semanas antesbaixar 365 betMahsa Amini,baixar 365 bet22 anos, morrer sob custódia da polícia moral do Irã.

No início deste ano, Rashnu foi processada após compartilhar online fotos suasbaixar 365 betque estava sem o véu. Ela diz ter sido suspensa da universidade por causabaixar 365 betseu ativismo.

Rashnu encontra-se fora da prisão e segue desafiando as regras obrigatórias do hijab.

Bernadette Smith

Bernadette Smith, Ilha da Tartaruga/Canadá

Defensorabaixar 365 betfamíliasbaixar 365 betpessoas desaparecidas

Apósbaixar 365 betirmã desaparecerbaixar 365 bet2008, Bernadette Smith buscou incansavelmente por respostas.

Ela virou uma importante defensora das famíliasbaixar 365 betmulheres e meninas indígenas desaparecidas e assassinadas no Canadá e criou uma coalizão para ajudar a coordenar ações e encontrar respostas.

Ela também cofundou a Drag the Red, uma iniciativa que faz buscas por corpos ou evidênciasbaixar 365 betpessoas desaparecidas no Rio Vermelhobaixar 365 betWinnipeg.

Smith foi recentemente eleita para um terceiro mandato na Assembleia Legislativabaixar 365 betManitoba e fez história como a primeirabaixar 365 betduas mulheres da Primeira Nação nomeadas como ministrasbaixar 365 betgabinete na província. Ela atua hoje como ministra da Habitação, Dependências e Sem-teto.

Iryna Stavchuk

Iryna Stavchuk, Ucrânia

Consultorabaixar 365 betpolítica climática

Uma das principais especialistasbaixar 365 betpolíticas climáticas, Iryna Stavchuk juntou-se recentemente à Fundação Europeia para o Clima como gerente do programa na Ucrânia, com o objetivo principalbaixar 365 betconceber soluções verdes e à prova do clima para a recuperação do seu país no pós-guerra.

Antesbaixar 365 betassumir a função, trabalhou para o governo ucraniano como vice-ministra do Ambientebaixar 365 bet2019 a 2022 e foi responsável pelas políticas relacionadas a alterações climáticas, integração europeia, relações internacionais e biodiversidade.

Stavchuk também é cofundadorabaixar 365 betduas ONGs ambientais relevantes — a Ecoaction e a Associaçãobaixar 365 betCiclistasbaixar 365 betKiev (U-Cycle) — e coordenou redes regionaisbaixar 365 betgrupos da sociedade civil que trabalhambaixar 365 betquestõesbaixar 365 betalterações climáticas.

Nossa tarefa é fazer o nosso melhor no lugar e na situaçãobaixar 365 betque nos encontramos. Sigo as palavrasbaixar 365 betSão Franciscobaixar 365 betAssis: "Comece fazendo o que é necessário; depois faça o que é possível; ebaixar 365 betrepente você estará fazendo o impossível".

Iryna Stavchuk

Gloria Steinem

Gloria Steinem, Estados Unidos

Líder feminista

Como líder do movimento feminista global desde a décadabaixar 365 bet1970, a contribuiçãobaixar 365 betGloria Steinem para o feminismo é reconhecidabaixar 365 bettodo o mundo há gerações.

Steinem trabalhoubaixar 365 betquestõesbaixar 365 betigualdade como ativista, jornalista, escritora, conferencista e porta-voz para a mídia.

Ela também é cofundadora da Ms. Magazine, que circulou pela primeira vezbaixar 365 bet1971 e é publicada até hoje. É o primeiro periódico nos EUA a trazer as questões do movimento pelos direitos das mulheres para o grande público.

Aos 89 anos, Steinem continua atuandobaixar 365 betprolbaixar 365 betum mundo mais justo por meio do seu apoio a organizações como Women's Media Center, a ERA Coalition e a Equality Now.

Summia Tora

Summia Tora, Afeganistão

Ativista pelos direitos dos refugiados

A Rede Dosti é uma organização dedicada a fornecer recursos e informações essenciais aos afegãos — tanto para os que vivem no país, quanto para os que vivem como refugiados — lançadabaixar 365 betresposta à tomada do poder pelos Talebãbaixar 365 bet2021.

Ela própria uma refugiada afegã, a fundadora Summia Tora entende perfeitamente os desafios enfrentados pelos indivíduos deslocados.

Seu trabalho centra-se no reassentamentobaixar 365 betrefugiados e no acesso à educação aos afetados por conflitos.

Reconhecedora do poder transformador da educação, Tora trabalhou com organizações como a ONU e o Banco Mundial, o Fundo Malala e a Schmidt Futures. Com essas parcerias, ela defende o acesso à educação com foco específico nos refugiados e nas mulheres e meninasbaixar 365 betcontextosbaixar 365 betemergência.

Xu Zaozao

Xu Zaozao, China

Ativista pelo congelamentobaixar 365 betóvulos

Em 2018, Xu Zaozao tentou congelar seus óvulosbaixar 365 betum hospital públicobaixar 365 betPequim. Mulher solteira, ela foi informada que, na China, o procedimento só estava disponível para casais.

Ela levou o hospital ao tribunal na primeira contestação legal na China sobre os direitosbaixar 365 betmulheres solteiras congelarem seus óvulos.

A batalha jurídica, pioneira, que começoubaixar 365 betdezembrobaixar 365 bet2019, ganhou as manchetesbaixar 365 betmeio a preocupaçõesbaixar 365 bettorno da baixa taxabaixar 365 betnatalidade do país.

A decisão final ainda está pendente, mas o casobaixar 365 betXu foi analisado por estudiosos das áreasbaixar 365 betdireito, medicina e ética. Hoje, ela segue sendo uma defensora proeminente dos direitos reprodutivos e da autonomia corporal das mulheres solteiras.

baixar 365 bet Ciência, Saúde e Tecnologia
Basima Abdulrahman

Basima Abdulrahman, Iraque

Empreendedora da indústriabaixar 365 betconstrução verde

Em 2014, quando o chamado grupo Estado Islâmico assumiu o controlebaixar 365 betgrandes partes do seu país natal, o Iraque, Basima Abdulrahman estudavabaixar 365 betuma universidade nos EUA.

Os combates deixaram muitas cidades destruídas, mas, quando Abdulrahman voltou para casa depoisbaixar 365 betconcluir seu mestradobaixar 365 betengenharia estrutural, encontrou uma maneirabaixar 365 betajudar.

Ela fundou a KESK, a primeira iniciativa dedicada à construção verde no Iraque. Ela descobriu que criar estruturas mais verdes significava combinar as mais recentes tecnologias e materiais energeticamente eficientes com os métodosbaixar 365 betconstrução tradicionais utilizados no país.

Ela está determinada a garantir que as práticasbaixar 365 betconstrução atuais não comprometam o bem-estar das gerações futuras.

Muitas vezes a crise climática me deixa ansiosa. Não consigo deixarbaixar 365 betme perguntar como alguém pode ficarbaixar 365 betpaz sem fazer parte da solução para mitigar seus riscos.

Basima Abdulrahman

Amina Al-Bish

Amina Al-Bish, Síria

Socorrista voluntária

Com a escalada da guerra civil na Síriabaixar 365 bet2017, Amina Al-Bish decidiu tornar-se uma das primeiras mulheres voluntárias da Defesa Civil da Síria, também conhecida como Capacetes Brancos, na esperançabaixar 365 betsalvar vidas e prestar primeiros socorros a civis feridos.

Mais tarde, Amina atuou como voluntária no resgatebaixar 365 betvítimas dos terremotos que atingiram a Síria e a Turquiabaixar 365 betfevereirobaixar 365 bet2023, devastando bairros inteiros e prendendo seus familiares sob os escombros.

Agora Al-Bish trabalha para melhorar a vidabaixar 365 betoutras mulheresbaixar 365 betsua comunidade no norte da Síria, onde os combates continuam. Ela está cursando Administraçãobaixar 365 betEmpresas e diz que seu sonho é participar da construçãobaixar 365 betuma Síria pacífica.

Sara Al-Saqqa

Sara Al-Saqqa, Territórios Palestinos

Cirurgiã-geral

A primeira mulher cirurgiãbaixar 365 betGaza, a Dra. Sara Al-Saqqa trabalha no maior hospital da cidade, o Al-Shifa.

Ela tem usadobaixar 365 betconta do Instagram para documentar a experiênciabaixar 365 bettratar pacientesbaixar 365 betmeio à guerra. O hospital Al-Shifa foi fortemente atingido com a intensificação da ofensivabaixar 365 betIsrael contra o Hamas.

Al-Saqqa tem postado sobre a faltabaixar 365 beteletricidade, combustível, água e alimentos, o que impede o hospitalbaixar 365 bettratar adequadamente seus pacientes. Ela teve que deixar Al-Shifa pouco antesbaixar 365 betsoldados israelenses invadirem o hospital, no que as Forçasbaixar 365 betDefesabaixar 365 betIsrael descreveram como uma operação contra o Hamas.

Al-Saqqa estudou medicina na Universidade Islâmicabaixar 365 betGaza e cirurgia na Universidade Queen Mary,baixar 365 betLondres. Ela não é mais a única cirurgiãbaixar 365 betGaza, uma vez que outras mulheres seguiram seus passos.

Bayang

Bayang, China

Escritorabaixar 365 betdiário e defensora da sustentabilidade

Desde 2018, Bayang mantém um diário ecológico com o qual monitora as espécies locais e mudanças nas fontesbaixar 365 betágua, fazendo também registros sobre o clima e observações sobre plantas.

Ela vive na província chinesabaixar 365 betQinghai, situadabaixar 365 betmaior parte no planalto tibetano e já sofre efeitos das mudanças climáticas, como temperaturas mais altas, derretimentobaixar 365 betgeleiras e desertificação.

Bayang faz parte da Redebaixar 365 betMulheres Ambientalistasbaixar 365 betSanjiangyuan e trabalha pela saúde e sustentabilidade embaixar 365 betcomunidade.

Ela aprendeu a desenvolver produtos ecológicos - como protetor labial, sabonete e bolsas - com o objetivobaixar 365 betproteger as fontesbaixar 365 betágua locais e inspirar outras pessoas a se juntarem à causa ambiental.

Susan Chomba

Susan Chomba, Quênia

Cientista

Hoje, diretora do World Resources Institute (WRI), Susan Chomba diz quebaixar 365 betvivênciabaixar 365 betpobreza infantil no condadobaixar 365 betKirinyaga, na região central do Quênia, motiva-a a ajudar a melhorar a vidabaixar 365 betoutras pessoas.

Ela preocupa-se principalmentebaixar 365 betproteger as florestas, restaurar paisagens e transformar os sistemas alimentares da África.

Das florestas tropicais da Bacia do Congo ao árido Sahel da África Ocidental e à África Oriental, Chomba dedica seu tempo a trabalhar com pequenos agricultores, especialmente mulheres e jovens, para ajudá-los a fazer o melhor usobaixar 365 betsuas terras.

Sua experiência é compartilhada com governos e pesquisadores com o objetivobaixar 365 betconstruir comunidades mais resilientes diante do quadrobaixar 365 betintensificação das alterações climáticas.

Me afeta mais a inação dos líderes mundiais, especialmente daqueles dos principais emissores, que também têm o poder econômico para mudar o rumo, mas são impedidos pelo dinheiro, pelo poder e pela política. Para gerir esses sentimentos, me dedico a açõesbaixar 365 betcampo, trabalhando com mulheres e jovensbaixar 365 bettoda a África na proteção e restauração da natureza, transformando os nossos sistemas alimentares e mudando as políticas.

Susan Chomba

Leanne Cullen-Unsworth

Leanne Cullen-Unsworth, Reino Unido

Cientista marinha

As ervas marinhas são conhecidas porbaixar 365 betcapacidadebaixar 365 betarmazenar carbono e criar a basebaixar 365 betviveiros para peixes, mas alguns habitats subaquáticos foram devastados.

Leanne Cullen-Unsworth é uma das fundadoras e atual CEO do Project Seagrass, o primeiro sistemabaixar 365 betrestauraçãobaixar 365 betervas marinhas do Reino Unidobaixar 365 betescala significativa.

O projeto facilita o processo ao utilizar um robô controlado remotamente para plantar sementes e pode criar um modelo para ajudar outros países a restaurar os seus prados subaquáticos.

Cientista interdisciplinar com maisbaixar 365 bet20 anosbaixar 365 betexperiênciabaixar 365 betpesquisa marinha, Cullen-Unsworth dedica-se à conservação e restauração com base científica.

Há muito a fazer para que alguém consiga alcançar resultados sozinho, mas as pessoas estão trabalhando juntas e compartilhando conhecimento. Da minha parte, sei que podemos reviver um habitat vital, protegê-lo e restaurá-lo por todos os benefícios que proporciona ao nosso planeta e à sociedade.

Leanne Cullen-Unsworth

Canan Dagdeviren

Canan Dagdeviren, Turquia

Cientista e inventora

Professora associada do Institutobaixar 365 betTecnologiabaixar 365 betMassachusetts (MIT), nos EUA, Canan Dagdeviren inventou recentemente um adesivobaixar 365 betultrassom para detecção precoce do câncerbaixar 365 betmama.

Ela buscou inspiração embaixar 365 bettia, diagnosticada com câncerbaixar 365 betmamabaixar 365 betestágio avançado aos 49 anos, apesarbaixar 365 betrealizar exames regulares, que morreu seis meses depois.

Ao lado do leitobaixar 365 betsua tia, Dagdeviren elaborou um plano aproximadobaixar 365 betum dispositivobaixar 365 betdiagnóstico que poderia ser incorporado a um sutiã e permitiria exames mais frequentesbaixar 365 betindivíduos com alto riscobaixar 365 betcâncerbaixar 365 betmama. A tecnologia tem potencial para salvar milhõesbaixar 365 betvidas.

Izabela Dłużyk

Izabela Dłużyk, Polônia

Gravadorabaixar 365 betsom

Gravador na mão, Izabela Dłużyk prepara-se para captar os sons extraordináriosbaixar 365 betBiałoweiza, uma das florestas mais antigas e mais bem preservadas da Europa, na Polônia.

A gravadorabaixar 365 betcampo é incomum não só por ser uma jovem que exerce uma profissão dominada por homens, mas por ser cega desde o nascimento.

Dłużyk desenvolveu uma sensibilidade especial ao canto dos pássaros desde que ganhoubaixar 365 betsua família um gravador, aos 12 anosbaixar 365 betidade, e é capazbaixar 365 betidentificar espécies utilizando somente os ouvidos.

Ela acredita que é um privilégio compartilhar "todo o bem, a beleza e o conforto" que os sons da natureza têm a oferecer, "independentementebaixar 365 betquaisquer diferenças que cada um pode perceber".

Marcela Fernández

Marcela Fernández, Colômbia

Guiabaixar 365 betexpedição

Os glaciares constituem uma fonte essencialbaixar 365 betágua doce para as comunidades locais, mas estão desaparecendo rapidamente na Colômbia.

A fundadora Marcela Fernández e seus colegas da ONG Cumbres Blancas (Picos Brancos) aumentaram a conscientização sobre o assunto, destacando que, dos 14 glaciares que existiram, restam apenas seis e, mesmo assim,baixar 365 betrisco.

Com expedições científicas e reunindo uma equipebaixar 365 betmontanhistas, fotógrafos, cientistas e artistas, Fernández monitora as mudanças e desenvolve formas criativasbaixar 365 betprevenir a perdabaixar 365 betglaciares.

Com o seu projeto adjacente, "Pazabordo" (Paz a bordo), ela viaja para áreas afetadas pela violência durante o conflito armado internobaixar 365 bet50 anos na Colômbia.

As geleiras me ensinaram a lidar com o luto, com a ausência. Quando você as ouve, sabe que a perda delas é um dano que não podemos desfazer, mas ainda assim podemos contribuir e deixar uma marca.

Marcela Fernández

Timnit Gebru

Timnit Gebru, Estados Unidos

Especialistabaixar 365 betinteligência artificial

Cientista da computação com grande influênciabaixar 365 betinteligência artificial, Timnit Gebru é fundadora e diretora-executiva do Institutobaixar 365 betPesquisabaixar 365 betInteligência Artificial Distribuída (DAIR, na siglabaixar 365 betinglês), criado para ser um "espaço independente, com pesquisabaixar 365 betIA livre da influência generalizada das big techs".

Ela criticou um viés racistabaixar 365 bettecnologiasbaixar 365 betreconhecimento facial e foi cofundadorabaixar 365 betuma entidade sem fins lucrativos que trabalha para melhorar a inclusão da população negra na inteligência artificial.

Nascida na Eitópia, a cientista da computação faz parte do conselho da AddisCoder, que ensina programação para estudantes etíopes.

Enquanto trabalhou como co-líderbaixar 365 betéticabaixar 365 betIA do Googlebaixar 365 bet2020, ela foi coautorabaixar 365 betum artigo acadêmico que trouxe à tona problemas nos modelosbaixar 365 betlinguagembaixar 365 betIA, incluindo vieses estruturais contra minorias, populações marginalizadas e determinadas localidades.

O estudo culminou na saída dela da empresa – naquele momento, o Google respondeu que o artigo ignorou pesquisas relevantes e disse que Gebru havia decidido sair. No entanto, ela disse que foi demitida por levantar problemasbaixar 365 betdiscriminação no trabalho.

Claudia Goldin

Claudia Goldin, Estados Unidos

Economista e ganhadora do Prêmio Nobel

Historiadora econômica e economista do trabalho, a americana Claudia Goldin foi a vencedora do Prêmio Nobelbaixar 365 betEconomia deste ano pelo seu trabalho sobre empregabilidade feminina e as causas das diferenças salariais entre homens e mulheres.

Ela é apenas a terceira mulher a receber o prêmio e a primeira a não dividir a premiação com colegas do sexo masculino.

Goldin é professorabaixar 365 beteconomia na Universidadebaixar 365 betHarvard e pesquisa temas como desigualdadebaixar 365 betrenda, educação e imigração.

Algunsbaixar 365 betseus artigos mais influentes analisam a história da busca das mulheres por carreira e família, e o impacto da pílula anticoncepcional nas decisõesbaixar 365 betcarreira e casamento das mulheres.

Trần Gấm

Trần Gấm, Vietnã

Proprietáriabaixar 365 betuma empresabaixar 365 betbiogás

Em 2012, Trần Gấm começou a introduzir fontesbaixar 365 betenergia mais amigáveis ao climabaixar 365 betfazendas do Vietnã.

A mãebaixar 365 betdois filhos percebeu uma lacuna no mercado e começou seu negócio instalando e administrando usinasbaixar 365 betbiogásbaixar 365 betHanói. A operação foi posteriormente expandida para três províncias vizinhas.

Seu projeto ajuda agricultores a reduzir custos transformando estrumebaixar 365 betvaca e porco, aguapé e outros resíduosbaixar 365 betbiogás. Considerado uma fontebaixar 365 betenergia muito mais sustentável que o gás natural, o biogás pode ser utilizado como energia para cozinhar e para o funcionamentobaixar 365 betuma casa.

Empresas como abaixar 365 betTrần envolvem as comunidades locais e geram o apoio político necessário para a mitigação das alterações climáticas.

Temosbaixar 365 betviver, e temosbaixar 365 betviver bem, por isso tento lidar e proteger as pessoas queridas melhorando a nossa saúde através do exercício físico,baixar 365 betuma dieta equilibrada e da manutenção dos padrõesbaixar 365 betsono. Também encorajo as pessoas a viverem um estilobaixar 365 betvida orgânico, cultivando suas próprias frutas e vegetais, e lutando contra o usobaixar 365 betpesticidas nos nossos vegetais.

Trần Gấm

Anna Huttunen

Anna Huttunen, Finlândia

Especialistabaixar 365 bettecnologiabaixar 365 betimpactobaixar 365 betcarbono

Como entusiasta da mobilidade sustentável, Anna Huttunen defende uma mobilidade mais verde, limpa e eficiente na cidade finlandesabaixar 365 betLahti, ganhadora do prêmio Capital Verde Europeia 2021.

Ela lidera o modelo inovador da cidade,baixar 365 betcomérciobaixar 365 betcarbono individual - o primeiro aplicativo no mundo a permitir que os cidadãos ganhem créditos ao usarem transportes ecologicamente corretos, como bicicletas ou transporte público.

Ela trabalha como Conselheirabaixar 365 betCidades Neutras para o Clima na NetZeroCities, uma organização que ajuda as cidades europeias a tentarem atingir a neutralidade climática até 2030.

Huttunen espera atrair outras pessoas para a mobilidade sustentável. Ela é uma grande defensora do ciclismo, que considera o futuro do transporte nas cidades.

Os municípiosbaixar 365 bettodo o mundo estão cheiosbaixar 365 betpessoas incríveis que trabalham para permitir que os seus cidadãos tenham uma vida mais sustentável. Faça abaixar 365 betparte, participe e seja parte da transformação!

Anna Huttunen

Gladys Kalema-Zikusoka

Gladys Kalema-Zikusoka, Uganda

Veterinária

Uma premiada veterinária e conservacionistabaixar 365 betUganda, Gladys Kalema-Zikusoka trabalha para salvar os gorilasbaixar 365 betmontanha ameaçadosbaixar 365 betextinção cujo habitat está sendo destruído pelas alterações climáticas.

Ela é fundadora e CEO da Conservation Through Public Health, uma ONG que promove a preservação da biodiversidade, permitindo que pessoas, gorilas e outros animais selvagens coexistam, ao mesmo tempobaixar 365 betque melhora a saúde e o habitat dos animais.

Depoisbaixar 365 bettrês décadas, ela já ajudou a aumentar o númerobaixar 365 betgorilas das montanhasbaixar 365 bet300 para cercabaixar 365 bet500, o que foi suficiente para que saíssembaixar 365 betcriticamente ameaçados para ameaçados.

Em 2021, Kalema-Zikusoka foi nomeada Campeã da Terra pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.

O que me dá esperança com relação à crise climática é o crescente reconhecimentobaixar 365 betque a questão precisa ser resolvida com urgência. Existem métodos inovadores para mitigar e adaptar-se a esta crise.

Gladys Kalema-Zikusoka

Sonia Kastner

Sonia Kastner, Estados Unidos

Desenvolvedorabaixar 365 bettecnologia para detecçãobaixar 365 betincêndios florestais

Este ano, vimos incêndios florestais devastarem algumas das maiores florestas do mundo. Com os bombeiros muitas vezes lutando para acompanhar a escala e a propagação das chamas, Sonia Kastner fundou uma organização para ajudar a detectá-los mais cedo.

A Pano AI usa tecnologiabaixar 365 betinteligência artificial para preparar reações mais rápidas e antes que os incêndios se espalhem, analisando a paisagembaixar 365 betbuscabaixar 365 betsinaisbaixar 365 betignição e alertando equipesbaixar 365 betemergência,baixar 365 betvezbaixar 365 betdepender apenasbaixar 365 betdenúncias da população.

Kastner passou maisbaixar 365 betdez anos trabalhandobaixar 365 betstart-upsbaixar 365 bettecnologia.

O que me dá esperança é o incrível poder da inovação humana. Sou testemunhabaixar 365 betprimeira mão do potencial da tecnologia e das soluções baseadasbaixar 365 betdados para ajudar no enfrentamento dos piores impactos da crise climática.

Sonia Kastner

Astrid Linder

Astrid Linder, Suécia

Professorabaixar 365 betsegurança no trânsito

Durante décadas, os automóveis foram fabricados utilizando bonecosbaixar 365 bettestesbaixar 365 betcolisão baseados no homem médio — embora as estatísticas mostrem que as mulheres correm maior riscobaixar 365 betferimentos ou mortebaixar 365 betcasobaixar 365 betcolisão frontal.

A engenheira Astrid Linder trabalhou para mudar isso, liderando o projetobaixar 365 betcriação do primeiro bonecobaixar 365 bettestebaixar 365 betcolisão femininobaixar 365 bettamanho médio do mundo, que levabaixar 365 betconsideração a morfologia do corpo das mulheres.

Professorabaixar 365 betSegurança no Trânsito no Instituto Nacional Suecobaixar 365 betPesquisa Rodoviária ebaixar 365 betTransporte (VTI) e professora assistente na Universidade Chalmers, Linder é especialistabaixar 365 betbiomecânica e prevençãobaixar 365 betlesões no trânsito.

Neha Mankani

Neha Mankani, Paquistão

Parteira

Quando inundações devastadoras atingiram o Paquistão no ano passado, a parteira Neha Mankani viajou a áreas afetadas para ajudar quem precisava.

Por meiobaixar 365 betsua instituiçãobaixar 365 betcaridade, Mama Baby Fund, Mankani e abaixar 365 betequipe distribuíram kitsbaixar 365 betparto que salvaram vidas, alémbaixar 365 betcuidados obstétricos, a maisbaixar 365 bet15 mil famílias afetadas pelas cheias.

Seu trabalho se concentrabaixar 365 betambientes com poucos recursos, reação emergencial e comunidades afetadas pelo clima.

O Mama Baby Fund já arrecadou dinheiro suficiente para lançar um barco-ambulância que transporta mulheres grávidasbaixar 365 betcomunidades costeiras para tratamento urgentebaixar 365 bethospitais e clínicas próximas.

O trabalho das parteirasbaixar 365 betcomunidades que enfrentam desastres relacionados ao clima é vital. Somos socorristas e ativistas climáticas. Nós ajudamos mulheres a receberem os necessários cuidados reprodutivos,baixar 365 betgravidez e pós-parto, mesmo quando a situação ao redor está se deteriorando.

Neha Mankani

Wanjira Mathai

Wanjira Mathai, Quênia

Consultora ambiental

Líder inspiradora para todo um continente, Wanjira Mathai tem maisbaixar 365 bet20 anosbaixar 365 betexperiência na defesabaixar 365 betmudanças sociais e ambientais.

Ela liderou o Movimento Cinturão Verde, uma organização indígena que empoderou mulheres com o plantiobaixar 365 betárvores, criada pela mãebaixar 365 betWanjira, Wangari Maathai, vencedora do Prêmio Nobel da Pazbaixar 365 bet2004.

Mathai é hoje diretora-gerente para África e Parcerias Globais do World Resources Institute e presidente da Fundação Wangari Maathai.

Ela atua como conselheira do Bezos Earth Fund na África, da Clean Cooking Alliance e da European Climate Foundation.

A ação é "local". Precisamos apoiar iniciativas locais, como empreendedores que trabalham com árvores e o trabalho liderado pela comunidadebaixar 365 bettorno da restauração, das energias renováveis ​​e da economia circular. Esforçosbaixar 365 betbaixo para cima como esses me dão esperança, pois nos mostram o que é possível.

Wanjira Mathai

Isabel Farías Meyer

Isabel Farías Meyer, Chile

Ativista da menopausa prematura

Isabel Farías Meyer não imaginava que seus ciclos menstruais irregulares pudessem ser um sintomabaixar 365 betalgo maior, mas, pouco antesbaixar 365 betcompletar 18 anos, ela foi diagnosticada com menopausa precoce, ou Insuficiência Ovariana Prematura. A condição ocorre quando os ovários parambaixar 365 betfuncionar adequadamente e afeta cercabaixar 365 bet1% das mulheres com menosbaixar 365 bet40 anos.

Os sintomas são semelhantes aos da menopausa, masbaixar 365 betidade muito precoce. Farias falou abertamente sobre como a condição afetabaixar 365 betvida, inclusive sobre a convivência com a osteoporose.

A jornalistabaixar 365 bet30 anos lançou a primeira rede regional para a menopausa prematura na América Latina com o objetivobaixar 365 betcompartilhar informações, combater mitos e criar espaços seguros para quem tem a doença.

Natalie Psaila

Natalie Psaila, Malta

Médica

Malta tem algumas das regras restritivas mais rigorosas sobre o aborto na Europa, e Natalie Psaila ajuda mulheres que necessitambaixar 365 betinformação e aconselhamento.

Ela cofundou a Doctors for Choice Malta e defende a descriminalização e legalização do aborto, alémbaixar 365 betum melhor acesso à contracepção.

Psaila diz que a proibição quase totalbaixar 365 betMalta, onde as interrupções só são permitidas se a vida da mulher estiverbaixar 365 betrisco, significa que as mulheres tomam comprimidos sem supervisão médica. Ela criou uma linhabaixar 365 betapoio para mulheres antes, durante e depois do aborto.

Ela também publicou um livrobaixar 365 beteducação sexual destinado a criançasbaixar 365 bet10 a 13 anos, chamado My Body's Fantastic Journey, para ajudar a ampliar o conhecimento sobre saúde reprodutiva no país.

Olena Rozvadovska

Olena Rozvadovska, Ucrânia

Defensora dos direitos das crianças

Ajudar as crianças ucranianas a processar o traumabaixar 365 betguerra é a missãobaixar 365 betOlena Rozvadovska. Ela é cofundadora da Voices of Children, uma instituiçãobaixar 365 betcaridade que oferece apoio psicológico.

A organização começou como uma iniciativa popularbaixar 365 bet2019, quatro anos depoisbaixar 365 betRozvadovska ter atuado como voluntária perto da linha da frentebaixar 365 betDonbass, quando os separatistas apoiados pela Rússia começaram a lutar contra a Ucrânia.

A fundação conta hoje com maisbaixar 365 bet100 psicólogos trabalhandobaixar 365 bet14 centros, alémbaixar 365 betuma linha direta gratuita. E já ajudou dezenasbaixar 365 betmilharesbaixar 365 betcrianças e pais.

Rozvadovska participou do documentário indicado ao Oscar A House Made of Splinters e, combaixar 365 betequipe, publicou o livro War Through the Voices of Children.

Rumaitha Al Busaidi

Rumaitha Al Busaidi, Omã

Cientista

"Mulheres e meninas, vocês fazem parte da solução climática" é o título da palestra TED Talkbaixar 365 bet2021 da cientista omanense Rumaitha Al Busaidi, que teve maisbaixar 365 betum milhãobaixar 365 betvisualizações e refletebaixar 365 betdefesa dos direitos das mulheres árabes.

Foi a expertisebaixar 365 betAl Busaidi que levou-a à posição que ocupa no Conselho da Juventude Árabe para as Mudanças Climáticas e na Sociedade Ambientalbaixar 365 betOmã.

Ela também aconselhou a administração Biden sobre o fornecimentobaixar 365 betajuda estrangeira informada sobre o clima, e o governo da Groenlândia no turismo sustentável.

Ela é a mulher mais jovembaixar 365 betOmã a chegar ao Polo Sul e fundadora da WomeX, uma plataforma para ajudar mulheres árabes a desenvolver habilidadesbaixar 365 betnegociação comercial.

A solução número um para superar as alterações climáticas é capacitar as mulheres e as meninas. O efeito multiplicador que elas têm nas suas comunidades mudará as percepções e ações e protegerá este lugar que chamamosbaixar 365 betlar.

Rumaitha Al Busaidi

Sumini

Sumini, Indonésia

Gerente florestal

Na conservadora provínciabaixar 365 betAceh, na Indonésia, é incomum que mulheres sejam líderes.

Quando Sumini percebeu que uma das principais causas das inundações nabaixar 365 betaldeia era o desmatamento, que também contribui para as alterações climáticas, ela decidiu tomar uma atitude e trabalhar com outras mulheres da comunidade.

O grupo dela recebeu uma licença do Ministério do Meio Ambiente e Florestas permitindo que a comunidade da vilabaixar 365 betDamaran Baru manejasse a área, todos os 251 hectaresbaixar 365 betfloresta, por 35 anos.

Ela agora lidera uma Unidadebaixar 365 betGestão Florestal da Aldeia (LPHK) para desencorajar a exploração madeireira ilegal e os caçadores que ameaçam tigresbaixar 365 betSumatra, pangolins e outros animais selvagensbaixar 365 betriscobaixar 365 betextinção.

Com o atual desmatamento desenfreado e a caça ilegal da vida selvagem, as florestas deveriam receber cada vez mais atenção quando se tratabaixar 365 betcomo enfrentamos coletivamente a crise climática. Mantenha a floresta, mantenha a vida.

Sumini

Fabiola Trejo

Fabiola Trejo, México

Psicóloga social

Quando a psicóloga social Fabiola Trejo inicioubaixar 365 betjornada acadêmica, há quase duas décadas, não havia qualquer pesquisa no México dedicada a estudar o prazer sexual das mulheres como uma questãobaixar 365 betjustiça social.

Trejo abriu caminho com seu trabalho, que analisa a desigualdade social, a violênciabaixar 365 betgênero e o poder político do prazer sexual, e busca promover a justiça sexual para as mulheres.

Ela argumenta que algumas desigualdades tornam as mulheres mais vulneráveis ​​sexualmente. Com palestras, pesquisas científicas e workshops práticos, ela ajuda as pessoas a explorar o prazer, os orgasmos e a masturbaçãobaixar 365 betmaneiras que superem essas questões.

Seu trabalho ressoa na América Latina e nas comunidadesbaixar 365 betlíngua espanhola, onde questões relacionadas à saúde feminina e à sexualidade permanecem um tabu.

Jennifer Uchendu

Jennifer Uchendu, Nigéria

Defensora da saúde mental

A ambição da organização SustyVibes, liderada por jovens e fundada por Jennifer Uchendu, é tornar a sustentabilidade acionável, identificável e interessante.

O trabalho recentebaixar 365 betUchendu focou na exploração dos impactos da crise climática na saúde mental dos africanos, especialmente dos jovens.

Em 2022, ela criou o projeto Eco-Anxiety Africa (TEAP) para se dedicar a validar e promover a defesa dos africanos afetados pelas emoções climáticas atravésbaixar 365 betpesquisa, influência social e psicoterapia para conscientização dos efeitos do clima.

Seu objetivo é trabalhar com pessoas e organizações interessadasbaixar 365 betmudar mentalidades ebaixar 365 betrealizar o trabalho árduo e muitas vezes desconfortávelbaixar 365 betaprender sobre as emoções climáticas.

Sinto uma sériebaixar 365 betemoções quando se tratabaixar 365 betcrise climática. Aos poucos estou aceitando o fatobaixar 365 betque nunca serei capazbaixar 365 betfazer o suficiente, mas que posso,baixar 365 betvez disso, fazer o meu melhor. Mostrar-me solidária com os outros para agir, descansar e simplesmente ser, me ajuda a proteger os meus sentimentos relacionados ao clima.

Jennifer Uchendu

Anamaría Font Villarroel

Anamaría Font Villarroel, Venezuela

Físicabaixar 365 betpartículas

Pesquisadora da físicabaixar 365 betpartículas, a professora Anamaría Font Villarroel dedica-se à teoria das supercordas, que busca explicar todas as partículas e forças fundamentais da natureza, modelando-as como minúsculos fios vibrantesbaixar 365 betenergia.

A pesquisa feita por Font aprofundou a compreensão das consequências da teoria no que diz respeito à estrutura da matéria e à gravidade quântica, que também são relevantes para a descrição dos buracos negros e dos primeiros momentos após o Big Bang.

Ela já recebeu o prêmio Fundación Polar na Venezuela e este ano foi escolhida como homenageada do prêmio Mulheres na Ciência da Unesco.

Qiyun Woo

Qiyun Woo, Cingapura

Contadorabaixar 365 bethistórias/criadorabaixar 365 betconteúdo

Como ambientalista e criadorabaixar 365 betconteúdo, Qiyun Woo usa as redes sociais para compartilhar ideias sobre as mudanças climáticas.

Sua plataforma online, The Weird and the Wild, dedica-se a tornar a ciência climática mais acessível e menos assustadora. E focabaixar 365 betconteúdo para defender, educar e envolver as comunidadesbaixar 365 betações contra as mudanças climáticas.

Ela é co-apresentadorabaixar 365 betum podcast ambiental com foco no Sudeste Asiático chamado Climate Cheesecake, que visa a explicar questões climáticas complexasbaixar 365 betdoses mais palatáveis.

Ela também é uma Jovem Exploradora da National Geographic.

A crise climática é complexa, avassaladora e assustadora. Podemos abordá-la com uma curiosidade feroz porém gentil — no lugar do medo — para que possamos manter os nossos corações suaves e cuidar do mundo, ao mesmo tempobaixar 365 betque preparamos as nossas ferramentas para nos livrar do que não funciona e construir o que funciona.

Qiyun Woo

Elham Youssefian

Elham Youssefian, Estados Unidos/Irã

Consultorabaixar 365 betclima e deficiência

Advogadabaixar 365 betdireitos humanos e deficiente visual, Elham Youssefian é uma fervorosa defensora da inclusãobaixar 365 betpessoas com deficiênciabaixar 365 betabordagens relacionadas às alterações climáticas, especialmente quando se falabaixar 365 betrespostabaixar 365 betemergência a incidentes climáticos.

Nascida e criada no Irã, Youssefian emigrou para os EUAbaixar 365 bet2016. Hoje, desempenha um papel fundamental na Aliança Internacional para a Deficiência, uma rede globalbaixar 365 betmaisbaixar 365 bet1.100 organizações que representam pessoas com deficiência.

Sua missão é educar os tomadoresbaixar 365 betdecisão sobre suas obrigações quando se trata do impacto das alterações climáticasbaixar 365 betpessoas com deficiência. Ela também defende o imenso potencial das pessoas com deficiência na luta contra a crise climática.

Nós, como indivíduos com deficiência, já provamos repetidamente a nossa capacidadebaixar 365 betsuperar desafios complexos e encontrar soluções mesmo quando nenhuma parece existir. As pessoas com deficiência podem e devem estar na linhabaixar 365 betfrente da batalha contra as alterações climáticas.

Elham Youssefian

Imagensbaixar 365 betalgumas das participantes da temporada 2023 do 100 Women, do Serviço Mundial da BBC

O que é o BBC 100 Women?

O BBC 100 Women nomeia, todos os anos, 100 mulheres influentes e inspiradorasbaixar 365 bettodo o mundo. Criamos documentários, reportagens e entrevistas sobre a vida delas — conteúdo que coloca as mulheres no centro e é publicado e transmitidobaixar 365 bettodas as plataformas da BBC.

Siga o BBC 100 Mulheres no Instagram e no Facebook. Participe da conversa usando #BBC100Women.

Como as 100 Mulheres foram escolhidas?

A equipe do BBC 100 Women elaborou uma lista com basebaixar 365 betnomes reunidos por meiobaixar 365 betpesquisas e também sugeridos pela redebaixar 365 betequipes do Serviço Mundial da BBC e do BBC Media Action.

Nós buscamos candidatas que viraram notícia ou influenciaram histórias importantes nos últimos 12 meses, além daquelas com casos inspiradores para contar, que alcançaram um feito significativo ou interferiram na sociedadebaixar 365 betmodo não necessariamente noticioso.

O conjuntobaixar 365 betnomes também foi avaliadobaixar 365 betrelação ao tema deste ano — alterações climáticas e seu impacto desproporcional nas mulheres e meninas no mundo todo, a partir do qual um grupobaixar 365 bet28 Pioneiras do Clima e outras líderes ambientais foi selecionado.

Representamos vozesbaixar 365 bettodo o espectro político ebaixar 365 bettodas as áreas da sociedade, analisamos nomesbaixar 365 bettornobaixar 365 bettemas que dividem opiniões e nomeamos mulheres que criaram abaixar 365 betprópria mudança.

A lista também foi avaliada com relação à representação regional e à devida imparcialidade antes da escolha dos nomes finais. Todas as mulheres deram seu consentimento para estar na lista.